Expansão de diversidade racial e de gênero é meta da Cielo até 2025

Efetivo da empresa deve contar com 45% de mulheres e 35% de pessoas negras e indígenas, incluindo cargos de liderança

Cielo adota metas para expandir contratação de mulheres, negros e indígenas
Cielo adota metas para expandir contratação de mulheres, negros e indígenas Pexels

Anna Gabriela Costada CNN

em São Paulo

Ouvir notícia

Adotar metas para aumentar a diversidade racial e de gênero entre profissionais é o objetivo da empresa Cielo. A companhia anunciou, nesta quinta-feira (7), que até 2025 o efetivo contará com 45% de mulheres e 35% de pessoas negras e indígenas.

A medida foi aprovada pelo Conselho de Administração da Cielo. Atualmente, 39% das pessoas que integram o quadro funcional da empresa são mulheres e 31% são negras e indígenas.

A companhia também estipulou metas para cargos de liderança. Hoje em dia as mulheres ocupam 38% desses cargos, enquanto pessoas negras e indígenas representam 18%. Em 2025, a meta será alcançar, respectivamente, 42% e 22% dessas posições.

“Não é um objetivo simples porque o universo financeiro e de tecnologia, onde a Cielo está inserida, é predominantemente masculino e ocupado por pessoas brancas. Mas essa realidade não pode servir como justificativa para acomodação. Assim, criamos uma tábua de iniciativas para atingirmos o objetivo de aumentar a representatividade desses dois grupos no quadro geral e na liderança”, afirma Fernando Pinto Lima, vice-presidente de Gente, Gestão e Performance da Cielo.

Iniciativas

Uma das primeiras iniciativas da Cielo para alcançar as metas foi reservar mais de 130 vagas de gerente comercial para mulheres. Ainda em abril, a companhia abrirá seleção focada em recrutar mulheres para postos de tecnologia de informação.

Além disso, a companhia passou a integrar a Iniciativa Empresarial pela Igualdade Racial, que ajudará na atração de profissionais negros e aceleração de carreira de pessoas que já estão na companhia e fazem parte desse recorte racial.

“Dessa forma, atuará na capacitação de pertencentes a esses perfis – mulheres, negros e indígenas – para que alcancem cargos estratégicos e de liderança”, explicou a empresa.

A companhia criou uma forma de mensuração anual da meta proposta entre 2022 e 2025. Em um primeiro momento, profissionais da área de Recursos Humanos poderão ter suas rendas variáveis afetadas caso não consigam atingir o que foi estipulado para o ano corrente.

“Em um segundo momento a liderança de diferentes áreas também poderá ter suas rendas variáveis afetadas em caso de não cumprimento da meta. Essa é uma demonstração do compromisso de toda a companhia com o aumento da diversidade,
causa que ainda tem o poder de tornar a Cielo mais competitiva e preparada para os variados desafios”, diz Daniel Poli, Head de Sustentabilidade, Diversidade Responsabilidade Corporativa.

Mais Recentes da CNN