André do Rap tentou despistar polícia, indicam grampos telefônicos

Julgamento de chefe do PCC solto por STF ocorre nesta terça (14)

Renan Fiuza

Da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

Apurações internas da polícia indicam que André Oliveira Macedo, conhecido como André do Rap e apontado como um dos chefes da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC) já estaria planejando fugir, após o ministro Marco Aurélio, do STF, conceder um Habeas Corpus na sexta-feira (9). O Plenário do STF julga o caso na tarde desta quarta-feira (14).

A reportagem apurou que inteceptações telefônicas indicaram o planejamento de um churrasco para receber o traficante na Baixada Santista. Ao deixar a penitenciária, André do Rap informou um endereço no Guarujá. A suspeita é que todo esse cenário foi montado pelos criminosos para despistar a polícia, pois ninguém foi encontrado nos endereços — indicando um planejamento para uma fuga.

Leia também:

Marco Aurélio Mello: ‘Não busco acompanhar cegamente entendimento de colega’

Maia: decisão de Marco Aurélio é um problema do Judiciário

Entenda o artigo 316 do CPP, citado para justificar soltura de chefe do PCC

André Oliveira Macedo, o André do Rap, do PCC
Foto: Reprodução/CNN Brasil (12.out.2020)

A Interpol atendeu ao pedido da Polícia Federal e incluiu o traficante André do Rap na lista vermelha de procurados mundiais. O pedido de incluir o traficante na lista da Interpol foi feito pela PF na segunda-feira e efetivada nesta terça, segundo a corporação. Neste momento, todos os parentes e pessoas próximas do traficante estão com os telefones grampeados e com redes sociais sendo monitoradas.

Mais Recentes da CNN