Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Justiça determina que filho de Lula deixe apartamento e não se aproxime de ex-mulher, diz advogada

    Segundo a defesa da vítima, o TJ-SP acatou o pedido de medida protetiva após a vítima fazer um boletim de ocorrência de violência doméstica

    Bianca Camargoda CNN

    O empresário Luís Cláudio Lula da Silva, filho do presidente Lula, deverá manter distância da ex-mulher, uma médica de 29 anos, e deixar o apartamento em que viviam juntos, segundo decisão do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP).

    O teor da decisão foi informado à CNN pela advogada Gabriela Schievano, que faz a defesa da vítima.

    Segundo ela, a Justiça acatou o pedido de medida protetiva após a ex-mulher fazer um boletim de ocorrência, nesta terça-feira, na Delegacia da Mulher da Polícia Civil de São Paulo, em que acusa Luís Cláudio de agressão física e psicológica.

    A CNN entrou em contato com a defesa do filho de Lula sobre o teor da decisão e aguarda retorno.

    A CNN também procurou o TJ-SP, que informou que não poderia fornecer detalhes pois o processo corre em segredo de Justiça.

    Entenda o caso

    A vítima, que vivia uma união estável há dois anos com o filho do presidente Lula, alegou em depoimento que desde o final de janeiro tem se desentendido com o companheiro e que, em uma ocasião, Luis Cláudio teria dado uma cotovelada na barriga dela.

    A denunciante também contou para a polícia que, em diversas ocasiões, sofreu abusos psicológicos com Luis Cláudio a ofendendo com xingamentos como “vagabunda, gorda, feia e doente mental.”

    Aos policiais, a mulher também contou que não havia registrado boletim de ocorrência anteriormente, pois teria sido intimidada, “uma vez que o autor das agressões é filho do presidente da República” e teria se utilizado dessas condições para ameaçar “acabar com a alma dela”, além de dizer que ninguém acreditaria em sua narrativa.

    A mulher foi afastada do trabalho por um mês devido ao trauma causado pelas agressões, segundo o boletim de ocorrência. O documento ainda traz que ela chegou a ser hospitalizada com crises de ansiedade.

    Redes Sociais

    Nesta terça-feira, a médica fez uma série de postagens na rede social Instagram em alusão a ideologia do filho do presidente, que não era seguida dentro de casa.

    Após o caso ganhar repercussão ela fez outra postagem, já apagada, onde a médica pediu para que as pessoas não relacionassem o caso envolvendo Luis Cláudio com o presidente Lula. “Por favor, deixem o Lula e a família dele em paz. Ele não tem nada a ver com isso”, diz trecho da mensagem.

    Em outro trecho, a médica diz: “Parem de responsabilizar os familiares por maldades de um homem adulto de 40 anos. São pessoas totalmente diferentes. Respeitem a família Lula”, diz.

    Outro lado

    Em nota publicada no Instagram, antes da decisão da Justiça, o filho do presidente Lula, Luis Claudio, publicou um texto assinado pela advogada Carmen Silvia Costa Ramos Tannuri com o seguinte teor:

    “Na condição de Advogada de Luís Cláudio Lula da Silva, tomamos conhecimento das fantasiosas declarações que teriam sido proferidas pela médica, atribuindo ao nosso cliente inverídicas e fantasiosas agressões, cujas mentiras são enquadráveis nos tipos dos delitos de calúnia, injúria e difamação, além de responder por reparação por danos morais, motivos pelos quais serão tomadas as medidas legais pertinentes”.

    (Com informações de Marcos Guedes, da CNN)