Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Lua alaranjada pode ser efeito de poluição na atmosfera, explica meteorologista

    Filipe Pungirum, da Climatempo, disse à CNN que primavera deve ser com temperaturas acima da média em todo o Brasil

    Da CNN

    O forte calor da última semana provocou um fenômeno diferente no céu brasileiro: a lua apareceu alaranjada em muitas cidades do país, incluindo a capital paulista.

    Filipe Pungirum, meteorologista da Climatempo, disse à CNN que o efeito pode ser resultado de partículas de poluição presas na atmosfera, além de fuligem resultante de queimadas no Pantanal e demais locais.

    “Sabemos que essas partículas em suspensão na atmosfera acabam alterando a coloração tanto do nascer como do pôr-do-sol. Como estamos com uma atmosfera bem estável, toda a poluição fica presa nessa camada mais baixa e ela tem a capacidade de mudar a coloração de alguns elementos no céu, como, por exemplo, nosso luar”, afirmou Pungirum. 

    O especialista afirmou que o calor continua em outubro, com pelo menos mais um registro de grandes temperaturas na segunda quinzena do mês. Nos próximos dias, porém, a passagem de uma frente fria pelo Sudeste deve amenizar o calor na região de São Paulo, Vale do Paraíba, sul Fluminense e na cidade do Rio de Janeiro

    Lua alaranjada
    Lua alaranjada é vista no Rio de Janeiro na noite de sexta-feira (2.out.2020)
    Foto: ALESSANDRO BUZAS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

    “Ao longo da próxima semana, essa massa de ar quente volta a predominar e vamos sentir calor novamente. Muitas cidades correm o risco de bater novos recordes de temperatura máxima”, prospectou.

    Leia mais: 

    Quais cuidados devem ser tomados com a queda brusca de temperatura?
    Temperaturas devem cair e amenizar o calor no fim de semana em São Paulo
    Ar-condicionado tem alta de 222% nas buscas por causa do calor no país

    Primavera vai ter calor acima da média

    Filipe Pungirum disse que a expectativa para os próximos meses é de temperaturas mais altas do que a média histórica, resultado do atraso no início das chuvas em grande parte do país.

    “Ao longo da primavera, até o verão, a expectativa é de temperaturas mais altas. No verão, as temperaturas devem ficar próximas das médidas, que sabemos que são bem altas.”

    Para a região do Pantanal, que sofre com queimadas, não há previsão de chuva para os próximos dias.

    “A frente fria que avança agora não terá alcance suficiente no interior do país para causar uma chuva significativa. As regiões do Pantanal e Cerrado, que estão queimando bastante, infelizmente não serão contempladas com esses episódios de chuva.”