PGR tenta diálogo com Defesa para ampliar presença das Forças Armadas no Amazonas

Declaração foi dada pelo Augusto Aras durante visita a Tabatinga, onde participou de reuniões para tratar dos desdobramentos do assassinato de Bruno Pereira e Dom Phillips

Procurador-geral da República, Augusto Aras, em reunião em Tabatinga, no Amazonas
Procurador-geral da República, Augusto Aras, em reunião em Tabatinga, no Amazonas Reprodução/Ministério Público Federal

Júlia Vieirada CNN

em São Paulo

Ouvir notícia

O procurador-geral da República, Augusto Aras, prometeu neste domingo (19) que irá dialogar com o Ministério da Defesa para ampliação das Forças Armadas no Vale do Javari. A declaração foi dada pelo chefe do Ministério Público durante visita a Tabatinga, no Amazonas, onde Aras participou de reuniões para tratar dos desdobramentos do assassinato do indigenista Bruno Pereira e do jornalista Dom Phillips.

“Eu volto a Brasília disposto a mover as instâncias do Estado para a defesa da Amazônia e seus cidadãos, sejam eles indígenas isolados ou não”, declarou o PGR.

Em um dos encontros, lideranças indígenas reforçaram a necessidade do aumento de fiscalização e combate ao crime na região onde ocorreu o crime. Aras, então, “se comprometeu a realizar a interlocução com o Ministério da Defesa e discutir a possibilidade da edição de decreto que autorize Garantia da Lei e da Ordem (GLO) para o Vale do Javari, ainda que temporário, de modo a reforçar a presença das Forças Armadas no local”.

Segundo a Defesa, missões da GLO, realizadas sobre ordem expressa do presidente da República, de forma episódica, em área restrita e por tempo limitado, ocorrem nos casos em que há o esgotamento das forças tradicionais de segurança pública, em graves situações de perturbação da ordem.

Mais Recentes da CNN