PM de Pernambuco troca de comando após ação em protesto contra governo Bolsonaro

Em nota, governo do estado afirmou que 'investigações sobre as responsabilidades das agressões praticadas por policiais militares continuam'

Duas pessoas foram atingidas nos olhos e perderam parte da visão após ação da PM em protesto na capital pernambucana
Duas pessoas foram atingidas nos olhos e perderam parte da visão após ação da PM em protesto na capital pernambucana Foto: Arthur Souza/PhotoPress/Estadão Conteúdo

Daniel Fernandes, da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

O governo de Pernambuco anunciou nesta terça-feira (1º), em nota, uma mudança no comando da Polícia Militar do estado. Com isso, o coronel José Roberto Santana – que ocupava o cargo de diretor de Planejamento Operacional da PM – assume a função no lugar do coronel Vanildo Maranhão.

Segundo o comunicado, Maranhão pediu exoneração do cargo no início da noite desta terça-feira e o governador pernambucano, Paulo Câmara (PSB), aceitou a solicitação.

A mudança no comando da corporação ocorre três dias depois de policiais militares dispersarem o protesto contra o governo de Jair Bolsonaro (sem partido) no último sábado (29), no Recife, com bombas de gás e balas de borracha. Duas pessoas foram atingidas nos olhos e perderam parte da visão.

O governo estadual informou que essa ação não foi autorizada. Após a dispersão violenta do ato, Câmara afastou o comandante da operação e policiais militares envolvidos.

“As investigações sobre as responsabilidades das agressões praticadas por policiais militares durante a manifestação ocorrida no último sábado no centro do Recife continuam. Há procedimentos investigatórios instaurados pela Corregedoria-Geral da Secretaria de Defesa Social e pela Polícia Civil”, disse o governo em nota.

De acordo com o governo pernambucano, Santana será nomeado nesta quarta-feira (2).

Mais Recentes da CNN