Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Polícia prende mais um garoto de programa suspeito de integrar quadrilha que chantageava clientes no Rio

    Agentes da Delegacia de Homicídios prenderam Carlos Henrique da Silva na manhã desta sexta-feira (7)

    Carlos Henrique da Silva foi preso em São João de Meriti, na Baixada Fluminense, após trabalhos de inteligência da Polícia
    Carlos Henrique da Silva foi preso em São João de Meriti, na Baixada Fluminense, após trabalhos de inteligência da Polícia Divulgação/Polícia Civil

    Rafael Villarroelda CNN*Rodrigo Monteiroda CNN São Paulo e Rio de Janeiro

    A Polícia Civil do Rio prendeu na manhã desta sexta-feira (7) o quarto suspeito de fazer parte da quadrilha de garotos de programa que chantageava e extorquia clientes.

    Carlos Henrique da Silva foi preso em São João de Meriti, na Baixada Fluminense, após trabalhos de inteligência da Polícia, conforme informou o delegado Álvaro de Oliveira Gomes, que é titular da 21ª DP, em Bonsucesso, e responsável pelas investigações do caso.

    Os prejuízos das vítimas já ultrapassam os R$ 100 mil.

    Carlos Hen
    Nas redes sociais, Carlos Henrique compartilhava uma vida de ostentação com bebidas e notas de R$100 – Divulgação/Polícia Civil

    Ele é apontado como um dos homens que atuava como garoto de programa para atrair novas vítimas.

    Na quinta (6), durante operação, os agentes da 21ª prenderam outros três suspeitos, sendo: Ronaldo da Silva Gonçalves, Cynara Ferreira da Silva, que é mãe de um dos suspeitos, e Fábio dos Santos Pita Junior, que conhecido como “Pedro Dominador”.

    À CNN, o delegado disse que uma das vítimas encontrou “Pedro Dominador” em sites de relacionamentos e logo após o primeiro encontro, foi ameaçado com possível divulgação de fotos íntimas.

    Os suspeitos atuavam em conjunto, e no início do golpe apenas um chantageava a vítima, e na sequência, mais de um criminoso também mandava mensagens ameaçando divulgação de fotos e vídeos íntimos. Já a outra parte do bando administrava o dinheiro obtido com o crime.

    Fábio dos Santos Pita Junior, conhecido como “Pedro Dominador” / Reprodução

    Segundo o delegado, o bando deve responder pelos crimes de extorsão e associação criminosa.