Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Prefeitura de Santa Maria inicia construção de memorial onde ficava a Boate Kiss

    Incêndio em casa noturna deixou 242 pessoas mortas em janeiro de 2013

    Dayres VitoriaFelipe Souzada CNN* em São Paulo

    A Prefeitura de Santa Maria realiza nesta quarta-feira (10) um ato para marcar o início da construção de um memorial no local onde funcionava a Boate Kiss, casa noturna que pegou fogo em janeiro de 2013 e deixou 242 pessoas mortas.

    Durante o ato, será realizada a remoção do letreiro e da porta principal. No primeiro dia, as obras devem seguir até as 17h, com previsão de retomada para o dia seguinte.

    “Desfazer a ruína e construir a memória! E, é isto, que vamos começar a fazer com o ato de início das obras do memorial às vítimas da Boate Kiss, nesta quarta-feira, dia 10 de julho, às 9 horas, onde funcionava a casa noturna. O memorial é um símbolo para não esquecermos a madrugada do dia 27 de janeiro de 2013. Precisamos recordar para que nunca se repita”, escreveu o prefeito de Santa Maria, Jorge Pozzobom, em uma rede social.

    Como foi a tragédia

    Na madrugada de 27 de janeiro de 2013, 242 pessoas morreram e outras 636 ficaram feridas após um incêndio na Boate Kiss. O uso de artefatos pirotécnicos, dentro da casa noturna teria causado o incêndio.

    Na ocasião, faíscas soltadas pelos sinalizadores, após ativados, atingiram a espuma de isolamento sonoro localizadas no teto do local, o que resultou em um rápido alastramento do fogo,  gerando assim uma espécie de fumaça tóxica. A maioria das vítimas morreram sufocadas por conta da fumaça. Desde então, a fatalidade é considerada a maior tragédia do Rio Grande do Sul e a segunda maior do país em número de vítimas em um incêndio.

    Como será a obra

    Nas primeiras etapas da execução da obra, haverá o recolhimento de alguns itens do local que farão parte do acervo do memorial. A remoção do telhado e a abertura de espaço na fachada para acesso de máquinas e equipamentos também farão parte das etapas iniciais.

    Em 2018, por meio de um concurso nacional aberto de arquitetura, organizado pelo Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB) do Rio Grande do Sul, houve a escolha do projeto arquitetônico para o Memorial. Entre 121 propostas, a escolhida foi a do arquiteto Felipe Zene Motta, da empresa Motta e Zene Engenharia e Arquitetura, de São Paulo.

    Já a empresa INFA Incorporadora Farroupilha, de Triunfo, foi a grande vencedora responsável para a execução da obra. A construção, orçada em cerca de R$ 5 milhões,  será custeada com verbas do Fundo para Reconstituição de Bens Lesados (FRBL), do MPRS – que em maio de 2023 oficializou o repasse de R$ 4 milhões. O restante do valor deve ser coberto pela Prefeitura de Santa Maria.

    A estrutura contará com um jardim naturalista circular de flores e um auditório. Ao redor, haverá 242 pilares de madeira, cada um representando uma vítima da tragédia.

    Com cerca de 383,65 m², além do jardim e do auditório, a área terá um único pavimento com sala de escritório, espaço multiuso, banheiros masculino e feminino, acessos ao auditório, depósito, área técnica e uma varanda.

    * Sob supervisão

    Tópicos

    Tópicos