Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Prefeitura do Rio faz operação para impedir realização da Feira de Acari

    Decreto que proíbe a famosa feira foi publicado nesta semana

    Agentes durante fiscalização na região onde acontecia a Feira de Acari, na zona norte do Rio
    Agentes durante fiscalização na região onde acontecia a Feira de Acari, na zona norte do Rio Fábio Costa/Secretaria de Ordem Pública do Rio de Janeiro

    Carolina Figueiredoda CNN

    A Prefeitura do Rio de Janeiro realizou, na manhã deste domingo (28), uma operação para garantir a proibição da realização da famosa Feira de Acari, na zona norte da cidade. Na última terça (23), o prefeito Eduardo Paes (PSD) publicou um decreto onde afirma que a origem dos produtos vendidos no local é do crime organizado.

    A feira acontece desde os anos 1970 como um ponto de comércio popular às margens da linha do trem, perto do Morro da Pedreira. Citada na letra de “W/Brasil”, sucesso de Jorge Ben Jor, e também no funk de MC Batata, o local viralizou em vídeos das redes sociais que mostram os preços — muito abaixo do comum — dos produtos vendidos no local.

    Na ação deste domingo, a Secretaria de Ordem Pública (Seop) e a Guarda Municipal atuaram com 160 agentes para impedir a realização da feira e para coibir outras irregularidades, como estacionamento em locais proibidos. Já a Polícia Militar empregou policiais do 9º BPM (Rocha Miranda), 41º BPM (Irajá), Batalhão de Policiamento em Vias Expressas (BPVE) e do Batalhão de Polícia de Choque (BPChq) para garantir a segurança dos agentes municipais, “uma vez que a região sofre influência do crime organizado armado”, conforme a Prefeitura.

    Durante a operação os agentes demoliram duas estruturas fixas com cobertura que ocupavam a calçada irregularmente e mais sete estruturas que serviam como moradia embaixo do Viaduto. Duas notificações foram feitas em um trailer, com banheiro, e um depósito de gelo, todos localizados no passeio público, obstruindo a via.

    Além disso, foram cortadas seis ligações clandestinas de luz e uma de água. A equipe também desativou quatro câmeras de vigilância que seriam usadas pelo crime organizado, e foram retirados cerca de 200 metros de fios e cabos que estavam sendo usados para furto de energia elétrica.

    De acordo com a Seop, um motorista, que estava alcoolizado e desacatou os agentes, foi levado para a 39ª Delegacia Policial. Além disso, um homem foi preso por estar com uma moto roubada e outro foi detido por ser fugitivo do sistema penitenciário.

    Segundo a prefeitura, a decisão de Paes de proibir a realização da Feira de Acari foi baseada em um relatório de inteligência produzido pela Seop que apontou a comercialização de material oriundo de roubos de cargas, contrabando e sem procedência comprovada no local, além da ocupação irregular de área pública. No documento, a administração municipal alerta para a venda ilegal de eletrodomésticos, aparelhos eletrônicos, remédios, animais silvestres, alimentos sem o devido acondicionamento e roupas de lojas de departamento com pela metade do preço de constava nas etiquetas.