SP emenda 5 dias com isolamento abaixo de 50%, pior sequência da quarentena

Para o governo estadual, só com uma média de 50% de isolamento será possível flexibilizar a quarentena e manter a capacidade de atendimento do sistema de saúde

Mesmo sob pandemia, pessoas se exercitam no entorno do parque do Ibirapuera, em São Paulo
Mesmo sob pandemia, pessoas se exercitam no entorno do parque do Ibirapuera, em São Paulo Foto: Taba Benedicto - 9.mai.2020/Estadão Conteúdo

Ouvir notícia

Entre segunda (4) e sexta-feira (8), São Paulo teve cinco dias seguidos com menos da metade da população fazendo isolamento social nas maiores cidades do estado, segundo dados divulgados neste sábado (9) pelo governo paulista. Desde o começo da quarentena no estado, em 24 de março, esta foi a maior sequência de dias com percentuais de isolamento abaixo de 50%. São Paulo é a unidade da federação com mais casos de Covid-19 no Brasil. 

Entre segunda e sexta-feira, os percentuais de isolamento social foram os seguintes:

— Segunda (4): 47%
— Terça (5): 47%
— Quarta (6): 47%
— Quinta (7): 47%
— Sexta (8): 46%

O governo estadual tem colocado em pelo menos 50% o percentual médio de isolamento necessário para a adoção de uma eventual flexibilização da quarentena e para que o sistema de saúde mantenha sua capacidade de atendimento. Na sexta-feira (8), o governador João Doria (PSDB) prorrogou a quarentena no estado até o dia 31

“Nós temos dito e repetido aqui que nenhuma medida de flexibilização de isolamento social será adotada no estado de São Paulo se não tivermos a média [de isolamento] entre 50% e 60%”, disse Doria na terça-feira (5).

Leia também:

Brasilândia, bairro com mais mortes por Covid-19 em SP, mantém comércio aberto

Com duração de 24h, rodízio de veículos volta a partir de segunda em São Paulo

Também na terça, o coordenador do Centro de Contingência do Coronavírus de São Paulo, David Uip, reiterou que só o isolamento social pode frear o avanço do coronavírus. Segundo Uip, para que a capacidade de atendimento do sistema de saúde seja mantida diante da velocidade da pandemia, o isolamento precisa estar em no mínimo 55%.

Desde o início da pandemia de Covid-19 no Brasil, o estado de São Paulo registra os maiores números absolutos de casos de pessoas com o novo coronavírus e de vítimas fatais da doença. Até ontem (8), segundo o Ministério da Saúde, São Paulo tinha registrado 3.416 mortes por Covid-19 e 41.830 casos da doença. Doria decretou luto oficial no estado “enquanto a pandemia perdurar”.

São Paulo monitora os percentuais de isolamento social nas 104 cidades do estado que têm mais de 70 mil habitantes. O monitoramento é feito por meio de dados de telefonia celular. O objetivo é observar tendências de deslocamento de pessoas e identificar em quais regiões a adesão à quarentena é maior e em quais as campanhas de conscientização precisam ser intensificadas, diz o governo.

Segundo o governo paulista, “as informações são aglutinadas e anonimizadas, sem desrespeitar a privacidade de cada usuário.”

Mais Recentes da CNN