Superlotação marca 1° dia útil de BRT no Rio em 2021

Consórcio afirma que ‘vem trabalhando com toda a sua capacidade operacional e avaliando permanentemente a sua malha’

Superlotação marca 1° dia útil de BRT no Rio em 2021
Superlotação marca 1° dia útil de BRT no Rio em 2021 Foto: Bruno Brito/CNN Brasil

Cleber Rodrigues, Camille Couto e Stefáno Salles da CNN, no Rio de Janeiro

Ouvir notícia

A superlotação, que fez parte da rotina do carioca ao longo do ano passado, também foi cena frequente no 1° dia útil de 2021. Durante a manhã desta segunda-feira (4), equipes da CNN espalhadas pelos terminais da Barra da Tijuca e Santa Cruz, na zona oeste da capital fluminense, flagraram ônibus cheios e dezenas de passageiros sem a máscara, proteção obrigatória durante a pandemia, e que reduz as chances de propagação do vírus, ainda mais em um ambiente lotado.

De acordo com o consórcio que administra os três corredores expressos do BRT, no Rio, 40% das estações ficaram fechadas em 2020. Trinta e duas por causa de atos de vandalismo e vinte em decorrência da violência dos últimos anos.

Leia também:
Governo do Rio abre licitação para a compra de freezers para vacina Pfizer
Vacinação: Rio vai ‘aguardar definição’ do Ministério da Saúde, diz secretário
Rio unificará dados sobre coronavírus para evitar ‘defasagem’ nos números

Nesta segunda, o BRT informou que reabriu a estação Pinto Teles, no corredor Transcarioca. Segundo a concessionária, o espaço recebeu pintura, iluminação e reparos nos vidros e bilheterias, alvos de vandalismo. Já no Módulo Marapendi, foi feita uma revisão nos equipamentos, na porta de rolagem, além da limpeza.

“Apesar da grave situação financeira, entre março e dezembro a empresa teve perdas de receita de R$ 180 milhões, o BRT Rio está trabalhando para reabrir nas próximas semanas outras quatro estações: André Rocha, General Olímpio, Nova Barra e Praça do Bandolim, além do módulo Expresso da estação Tanque. Junto com as 28 estações reformadas e recuperadas em 2020, a entrega dessas estações integra o esforço do BRT Rio para prestar um serviço de qualidade aos passageiros”, diz a nota do BRT Rio.

Sobre a superlotação, o consórcio afirmou que “vem trabalhando com toda a sua capacidade operacional e avaliando permanentemente a sua malha, de forma a prestar o melhor serviço aos passageiros”. Também afirma que realiza campanhas de conscientização sobre o uso da máscara e outras medidas de combate à Covid-19.

Também nesta segunda, a nova gestão da prefeitura iniciou uma operação que vai durar 15 dias com o objetivo de realizar reparos emergenciais nos 26 terminais de maior movimento na cidade. De acordo com o executivo, a ação envolve várias secretarias, que ficarão responsáveis por atividades como limpeza, fiscalização e ordenamento do transporte.

Reabertura de 07 estações

A Secretaria de Transportes também elaborou um plano para a reabertura de 07 estações nos corredores de BRTs no primeiro mês de trabalho – todas na Zona Oeste. Segundo o município, até o início de fevereiro está prevista a reativação das estações Pinto Teles, Bosque Marapendi (Módulo Expresso), ambas com previsão de voltar a funcionar já nessa segunda-feira, dia 04, Tanque (Módulo Expresso), André Rocha, General Olímpio, Nova Barra e Praça do Bandolim. Todas estão passando por pequenos reparos. Durante o mês de janeiro, a secretaria divulgará um cronograma de reabertura de outras estações.

Superlotação

Já sobre a superlotação, a prefeitura afirma que ainda está “desenvolvendo um estudo, junto ao BRT Rio, sobre a frota disponível de ônibus articulados e a demanda de passageiros”. E que “o objetivo é reorganizar a distribuição de linhas e diminuir a concentração de passageiros nas estações, principalmente em horários de pico da manhã e à tarde”.

Criados como legado da Copa do Mundo e das Olimpíadas, os corredores expressos do BRT sofreram com vandalismos e os passageiros com a falta de coletivos para atender a demanda.

Mais Recentes da CNN