Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Tarcísio diz à CNN que não descarta internação compulsória na Cracolândia como medida extrema para salvar vidas

    Governador de São Paulo afirmou que medida é extrema e a última opção para resolver problema com dependentes químicos no centro da capital paulista

    Da CNN

    São Paulo

    O governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas (Republicanos), afirmou à CNN, nesta sexta-feira (21), que não descarta propor a internação compulsória como medida extrema para tentar resolver o problema da Cracolândia.

    “Entendo que antes de muitas medidas que podem ser tomadas, as pessoas precisam de acolhimento”, afirmou. “Obviamente, é uma medida extrema que pode ser usada com cuidado em último caso”, explicou o governador de São Paulo.

    Devido à complexidade da questão, Tarcísio afirmou ainda que “não existe uma bala de prata para o problema” e que existem “muitas políticas públicas que precisam conversar”.

    No entanto, o governador disse que “quando todas as outras possibilidades estiverem esgotadas, como forma de salvar vidas” poderá considerar, sim, a internação compulsória.

    Mudança de ideia

    Na quinta-feira (20), Tarcísio afirmou à CNN que desistiu de transferir os dependentes químicos que hoje ficam na área conhecida como Cracolândia para o Bom Retiro, também na região central da capital paulista.

    “Não vai funcionar. Vou voltar atrás. Sou humano. Não tenho problema de corrigir o caminho”, disse Tarcísio, que passou a manhã percorrendo a região da Cracolândia.

    A iniciativa havia sido anunciada na terça-feira (18) e provocou forte reação nos comerciantes do Bom Retiro.

    A ideia inicial do governador era levar os dependentes para dentro do complexo Prates, onde já funcionam instalações como o Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas (Caps), além de uma unidade da Assistência Médica Ambulatorial (AMA).

    FOTOS – Veja imagens da Cracolândia, na região central de São Paulo

    (Publicado por: Ingrid Alfaya)