UFRJ cancela matrícula de 27 alunos por fraude em cotas raciais

O curso de medicina é o com o maior número de expulsões, foram 21; alunos de Psicologia, Enfermagem e Engenharia da Computação também estão envolvidos

Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)
Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) Foto: UFRJ/Divulgação

Beatriz Puente, da CNN, no Rio de Janeiro 

Ouvir notícia

 

A Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) cancelou a matrícula de 27 alunos de 5 cursos por fraude nas cotas étnico-raciais. O curso de medicina é o com o maior número de expulsões, foram 21.

Alunos de Psicologia, Enfermagem, Comunicação Visual e Engenharia da Computação também estão envolvidos.

As 27 pessoas que foram expulsas são oriundas de diversos períodos, isso porque a medida depende da ordem de conclusão de processos. Alguns desses alunos já estavam na fase de conclusão do curso.

A Universidade informou em nota que geralmente o procedimento é motivado por denúncias da comunidade interna e externa e que mais alunos, de vários cursos, serão notificados em breve. Já foram contabilizadas cerca de 350 denúncias por fraude de cotas raciais. Dessas, 96 se referem a alunos matriculados no curso de medicina.

O ponto de cortes para cotas na medicina na UFRJ é o quinto maior entre os cursos médicos do Brasil. A cada semestre, 100 alunos ingressam na graduação, sendo 26 com cotas étnico-raciais relacionadas ou não com renda, deficiência ou ter feito o ensino médio em escolas públicas. 

Os alunos brancos, mas que se autodeclararam negros terão até o dia 11 de fevereiro para se apresentarem às UFRJ e poderão solicitar recurso ao Conselho Universitário. Mas enquanto isso, já perderam o vínculo com a Universidade. Os autos dos processos são enviados ao Ministério Público Federal.

Mais Recentes da CNN