Witzel prorroga quarentena no Rio de Janeiro até 11 de maio

Governador e prefeitura da capital prorrogaram as medidas restritivas devido a possibilidade de colapso na saúde

Da CNN

Ouvir notícia

O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, prorrogou, até o dia 11 de maio, as medidas de prevenção e isolamento para conter as transmissões do novo coronavírus. A decisão foi publicada nesta quinta-feira (30) no Diário Oficial do Estado. Na cidade do Rio, a quarentena se estende até o dia 15 de maio. 

De acordo com o texto, apenas serviços essenciais estão autorizados a funcionar. Escolas públicas e privadas, creches e instituições de ensino superior permanecem fechadas, assim como cinemas, teatros, academias, centros de lazer e shoppings. Seguem suspensos também eventos esportivos, culturais, shows, feiras científicas, entre outros, realizados em local aberto ou fechado.

A determinação de não frequentar praias, lagoas, rios, piscinas públicas e clubes continua mantida e vale para todo o estado.

Supermercados, açougues, padarias, lanchonetes, hortifrutis, farmácias e lojas de conveniência permanecem em funcionamento. Mas o governo destacou que eles devem seguir todas as medidas de segurança, como o cumprimento do distanciamento entre os consumidores, com o objetivo de evitar aglomerações.

Assista e leia também:
Drones serão usados para evitar aglomerações no Rio de Janeiro
No Rio de Janeiro, 88,45% dos leitos de UTI no SUS estão ocupados
Muitas pessoas perderam o olfato com o novo coronavírus. Será que ele volta?

Caso esses locais descumpram as determinações previstas, as autoridades irão apurar as eventurais infrações. Os demais tipos de comércio podem realizar atendimento somente por delivery.

No caso das feiras livres, o funcionamento está permitido, desde que cumpram as determinações da Secretaria de Estado de Saúde. Além disso, as barracas precisam manter uma distância mínima de 2 metros umas das outras e fornecer álcool em gel para os feirantes e os consumidores.

Seguem suspensas as visitas a unidades prisionais e a pacientes diagnosticados com a COVID-19 que estejam internados na rede pública ou privada de saúde.

Além disso, está suspensa a chegada de ônibus de passageiros ao Rio de Janeiro com origem em São Paulo, Minas Gerais, Espirito Santo, Bahia, Distrito Federal e demais estados em que a circulação do vírus
tenha sido confirmada ou em situação de emergência. O mesmo vale para os transportes aéreos.

Mais Recentes da CNN