PSD retira candidatura e anuncia apoio a Luiz Lima, do PSL, à prefeitura do Rio

O anúncio do acordo e da nova chapa foi feito nesta quinta-feira (17) , na sede do PSD

Stéfano Salles, da CNN no Rio de Janeiro
17 de setembro de 2020 às 19:09 | Atualizado 17 de setembro de 2020 às 19:10
Fernando Veloso, à esquerda, será o vice do deputado federal Luiz Lima
Fernando Veloso, à esquerda, será o vice do deputado federal Luiz Lima
Foto: Divulgação/PSL

O Rio tem uma candidatura a menos para as eleições municipais deste ano. Um acordo entre o PSD e o PSL fez com que o deputado federal Hugo Leal tirasse seu nome da disputa, para uma composição.

Agora os dois partidos vão caminhar juntos na candidatura do também deputado federal Luiz Lima, do PSL. O PSD indicou o delegado Fernando Veloso para compor a chapa como vice-prefeito. Originalmente, ele seria candidato a vereador. 

O anúncio do acordo e da nova chapa foi feito nesta quinta-feira (17) , na sede do PSD, no Centro do Rio. A coligação se chama "O Rio tem opção". 

Leia também:

Quem são os candidatos a prefeito do Rio de Janeiro nas eleições de 2020?

O que faz um mesário, quais são os seus direitos e o que muda com a pandemia

Veloso é delegado e foi chefe da Polícia Civil do Rio de Janeiro até outubro de 2016, passando pelos governos de Sérgio Cabral e Luiz Fernando Pezão. Na função, ele sucedeu a delegada Martha Rocha, candidata à Prefeitura do Rio pelo PDT. 

O novo vice disse que a segurança será uma temática fundamental para a gestão, caso a dupla saia vencedora do pleito de novembro. 

"Em uma cidade complexa com o Rio, a gestão municipal precisa atuar de forma estratégica e integrada na segurança pública. Eu e o futuro prefeito nos conhecemos há pouco tempo mas, nas nossas conversas, criou-se empatia, harmonia de ideias e confiança", afirmou o delegado. 

Luiz Lima fez elogios ao seu novo parceiro, que substituirá a advogada Flávia Ribeiro dos Santos, anunciada na convenção do partido, no dia 12, como candidata a vice-prefeita. 

"O Fernando Veloso é integro, temos convergência política e empatia. Existe uma confiança entre nós. Temos alinhamento político e de direita. Dentro do processo democrático, nós fizemos essa eleição ser mais justa para o carioca. Vamos priorizar a transparência", disse Lima.

O deputado Hugo Leal disse que abriu mão da candidatura para fortalecer o diálogo entre o governo do estado e o governo federal em assuntos de interesse do Rio. 

Os dois partidos já vinham conversando há pelo menos duas semanas. Originalmente, a ideia era atrair também o PTB para a aliança, fazendo uma coalizão de partidos com fortes alas bolsonaristas. 

A ex-deputada federal Cristiane Brasil foi presa preventivamente na última sexta-feira, na Operação Catarata. Mesmo assim, o PTB protocolou o registro de candidatura dela no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-RJ), tendo como vice o economista Fernando Bicudo, também do partido.