Bolsonaro inaugura ponte no Piauí e volta a criticar medidas restritivas

Presidente foi à Santa Filomena, a 822 km da capital Teresina

Anna Satie, da CNN, em São Paulo
20 de maio de 2021 às 13:04

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) participou nesta quinta-feira (20) da cerimônia de liberação de uma ponte na BR-235 em Santa Filomena (822 km de Teresina), no Piauí, que liga a cidade ao Maranhão. Em pronunciamento, ele voltou a criticar medidas restritivas para conter a Covid-19.

"Temos um problema de desemprego, sim, querem colocar na minha conta também. Mas a conta é de quem fechou tudo sem nenhuma responsabilidade, sem comprovação científica, apenas para posar de que estavam preocupados com a vida de vocês", disse. "Defendemos as medidas, distanciamento e higiene. Mas o emprego é tão o mais importante. Nossa preocupação é lutar por ele do que lutar contra o vírus". 

Volta ao PP

Junto do presidente, estavam os ministros da Infraestrutura, Tarcísio Freitas, e das Comunicações, Fábio Faria, o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, e o filho, o vereador carioca Carlos Bolsonaro (Republicanos).

Além deles, havia senadores do estado do Piauí, como Ciro Nogueira (PP), que estava inscrito para questionar o ex-ministro Eduardo Pazuello na CPI da Pandemia nesta quinta. 

Falando a Nogueira, Bolsonaro disse não descartar voltar ao PP, legenda em que esteve entre 2005 e 2016. 

"Ciro, meu velho colega de parlamento, fui do PP por muito tempo. Ele não está apaixonado por mim, mas está me namorando, quer que eu retorne ao PP. Quem sabe? Se for bom de papo, quem sabe a gente volte para lá. Não estou me fazendo de difícil, é um grande partido", declarou. 

Com dificuldade para tirar o Aliança pelo Brasil do papel, o presidente deve se filiar a outra sigla para tentar a reeleição em 2022.