Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    À CNN, presidente da CPI do MST diz que quer prorrogar comissão e irá falar com Lira

    Tenente-Coronel Zucco (Republicanos-RS) explica que colegiado perdeu reuniões pelo recesso e feriado

    Tenente-Coronel Zucco conversará com Lira para mostrar a necessidade da continuidade dos trabalhos da comissão
    Tenente-Coronel Zucco conversará com Lira para mostrar a necessidade da continuidade dos trabalhos da comissão Zeca Ribeiro/Câmara dos Deputados

    Leandro Magalhãesda CNN

    São Paulo

    Os trabalhos da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do MST podem ser prorrogados. O desejo é do presidente da comissão, deputado Tenente-Coronel Zucco (Republicanos-RS).

    Em entrevista à CNN nesta segunda-feira (28), ele disse que quer manter o diálogo com os parlamentares para alcançar o objetivo de prorrogar a comissão. Atualmente, o prazo final da CPI é no dia 28 de setembro.

    “Pretendemos prorrogar os trabalhos da CPI porque estamos conseguindo comprovações e precisamos de mais tempo para obter mais dados. Perdemos duas semanas por causa do recesso, além de uma semana do feriado do mês de junho”, afirmou Zucco à CNN.

    VÍDEO – Zucco: Entrada do Centrão no governo desgastou a CPI do MST

    O presidente do colegiado também disse à CNN que irá conversar com o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), para mostrar a necessidade da continuidade dos trabalhos da comissão.

    “Pretendo conversar com o presidente Arthur Lira amanhã, após a sessão da CPI. Vamos manter o diálogo e mostrar o interesse de prorrogar os trabalhos”, explicou.

     

    A comissão que apura a atuação do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) no País começou a funcionar em meados de maio deste ano.

    Há duas semanas, a base governista negociou trocas de integrantes da CPI do MST com partidos do Centrão e passou a ter maioria na comissão.

    No entanto, partidos como o União Brasil e o MDB alteraram novamente na semana passada quatro membros no colegiado, o que permitiu que a oposição voltasse a ter maioria na CPI.

    Veja também: Dois Lados: Deputados debatem se CPI do MST pode atingir governo Lula