Adilson Barroso: convenção do Patriota foi ilegal e eu continuo como presidente

De acordo com convenção realizada hoje, Adilson Barroso estaria afastado da presidência do Patriota por 90 dias

O presidente Jair Bolsonaro e Adilson Barroso, presidente nacional do partido Patriota
O presidente Jair Bolsonaro e Adilson Barroso, presidente nacional do partido Patriota Foto: Marcos Corrêa/PR (24.abr.2019)

Leandro Magalhães, da CNN, em Brasília

Ouvir notícia

Adilson Barroso afirmou à CNN, nesta quinta-feira (24), que a convenção realizada pelos integrantes do Patriota – que afastou Barroso da presidência da legenda – não teve fundamento jurídico. Adilson classificou o grupo de “rebelde” e “indisciplinados”.

“Não estou afastado da presidência do Patriota, porque o ato que alguns integrantes assinaram é ilegal. Eles querem processar alguém que quer somente filiar uma pessoa para a legenda? Não há nenhum crime aí. Esse grupo não tem autoridade nenhuma. É um grupo rebelde e indisciplinado do partido”, ressaltou.

Adilson Barroso ainda afirmou que a convenção não teve maioria e que o grupo não gosta do presidente Jair Bolsonaro.

“Eles não tinham maioria para realizar nenhuma convenção. Eu não autorizei a realização. O objetivo deles é assustar o presidente Jair Bolsonaro.

Integrantes do partido afirmam que Adilson Barroso faz mudanças no estatuto da legenda sem ouvir toda a executiva do partido.

De acordo com a convenção realizada hoje, Adilson Barroso estaria afastado da presidência do Patriota por 90 dias. Quem assumiria seria o vice, Ovasco Resende. 

Mais Recentes da CNN