Aeronáutica nega carona a Olavo de Carvalho

Parlamentares de oposição afirmam que vão chamar ministro e comandante da FAB para depor sobre suposta ajuda a filósofo

O escritor e professor Olavo de Carvalho (14.Ago.2021)
O escritor e professor Olavo de Carvalho (14.Ago.2021) Divulgação

Basília Rodriguesda CNN

Ouvir notícia

O comandante da Aeronáutica, Brigadeiro Baptista Júnior, afirmou à CNN que o filósofo e guru do governo “Olavo de Carvalho não foi para os EUA em avião da FAB”.

Ninguém sabe como ele deixou o país. Aliado do governo, Carvalho saiu do Brasil, na semana passada, após ter sido intimado a depor no inquérito do Supremo Tribunal Federal (STF) que apura ataques à democracia. Carvalho estava internado no InCor, em SP, para tratar insuficiência cardíaca e renal.

Após divulgação do site 247, que afirma que o governo facilitou a fuga de Carvalho do Brasil, a Aeronáutica tratou de negar a informação. A reportagem fez conclusões com base em apuração da jornalista Daniela Abade, que divulgou ter recebido informação de uma fonte de que Olavo de Carvalho teria ido embora do país em avião do ministro das Comunicações, Fábio Faria.

Por meio de cruzamento de dados oficiais, a jornalista divulgou que um avião da FAB saiu da capital paulista, em 13 de novembro e fez pouso pouco habitual em um terminal doméstico. A mesma aeronave teria retornado ao Brasil depois com o ministro das Comunicações.

Indignado com a associação de seu nome ao episódio, Faria comunicou ao STF que não conhece Olavo de Carvalho. Em suas redes, escreveu: “nunca o vi na vida e não fui de FAB para os EUA. Irresponsabilidade soltar maluquices na imprensa sem checar. É preciso investigar e punir esses devaneios que se espalham irresponsavelmente”, disse.

Parlamentares de oposição anunciaram que vão convocar Faria e o comandante da FAB para depor.

Em nota à CNN, a FAB afirma que o avião oficial que deixou o Brasil em direção aos Estados Unidos “não transportou nenhum passageiro, apenas os tripulantes que cumpriam a missão”.

Vôo repentino

As suspeitas vieram após o próprio Olavo de Carvalho divulgar que deixou o hospital e viajou para os Estados Unidos, em um “vôo repentino”.

Carvalho não contou quem o tirou do Brasil, segundo ele, “à francesa”. “Eu estava no hospital e me ofereceram um voo repentino para dali a 15 minutos. Eu não ia perder essa oportunidade”, afirmou. “A coisa foi tão rápida”. De acordo com Carvalho, ele ouviu de quem o convidou: “Ou embarca agora ou não vai ter outro voo”.

Mais Recentes da CNN