Aras vai analisar se há irregularidades em mensagens de Zambelli a Moro

Conversas entre a deputada e o ex-ministro fazem parte do inquérito que apura as alegações de Moro contra o presidente

A deputada Carla Zambelli em comissão na Câmara
A deputada Carla Zambelli em comissão na Câmara Foto: Cleia Viana/Câmara dos Deputados (27.mar.2019)

Gabriela Coelho, da CNN em Brasília

Ouvir notícia

O procurador-geral da República, Augusto Aras, afirmou ao STF (Supremo Tribunal Federal) que determinou uma apuração preliminar para verificar eventuais indícios de crime nas mensagens enviadas pela deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP) ao ex-ministro da Justiça Sergio Moro.

Aras prestou a informação ao Supremo ao pedir o arquivamento de uma petição feita por deputados do PT, que acusam a deputada do PSL de advocacia administrativa e tráfico de influência. Como é praxe nesse tipo de ação, o ministro Celso de Mello questionou a PGR sobre o pedido de investigação feito pelos petistas.

Portanto, o que o procurador-geral afirmou ao relator do caso no Supremo é que a petição deve ser arquivada porque as alegações já estavam sendo apuradas pelo Ministério Público.

Assista e leia também:

Aras pede que STF arquive ações do PT contra Moro por suposta prevaricação

Alberto Fraga é cotado para Secretaria de Governo no lugar do general Ramos

Celso de Mello mantém depoimento de Weintraub sobre racismo para quinta (4)

As conversas entre a deputada e o ex-ministro fazem parte do inquérito que apura as alegações de Moro, que acusa o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) de tentar interferir politicamente na PF (Polícia Federal).

Os diálogos mostram a deputada Carla Zambelli tentando convencer o ex-ministro Sergio Moro a aceitar a trocar no comando da PF desejada por Bolsonaro. Moro pediu demissão após o governo publicar a exoneração do então diretor-geral da corporação, o delegado Maurício Valeixo. 

Mais Recentes da CNN