Bolsonaro cancela viagem à Argentina, onde participaria de evento do Mercosul

Ao ser questionado se a relação entre ele o presidente argentino, Alberto Fernández, está boa, presidente brasileiro diz que 'sim'

Leandro Magalhães, da CNN, em Brasília

Ouvir notícia

 

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse à CNN, neste sábado (13), que não viajará mais à Argentina. A viagem estava prevista para o dia 26 de março. O presidente não falou o motivo do cancelamento. Ao ser questionado se a relação entre ele o presidente argentino Alberto Fernández está boa, ele afirmou que sim.

Durante a live nas redes sociais do dia quatro de março, Jair Bolsonaro havia afirmado que deveria ir à Argentina para celebrar os 30 anos da criação do Mercosul.

“No dia 26 – está previsto – estarei em Buenos Aires, na nossa querida Argentina. Estarei celebrando os 30 anos da criação do Mercosul. (…) Logicamente, ele [Alberto Fernández] quer e eu quero uma conversa reservada, e publicamente vamos tratar das questões econômicas dos nossos países”, destacou Bolsonaro durante a live.

O cancelamento da viagem ocorre na mesma semana em que o ex-presidente Lula agradeceu ao atual presidente da Argentina, Alberto Fernández, por visitá-lo enquanto estava preso na superintendência da Polícia Federal em Curitiba. Na ocasião, em 2019, Fernández afirmou que a prisão do líder petista se tratava de uma “mácula ao Estado de Direito”.

A intenção da Argentina de intensificar a adesão da Bolívia ao Mercosul também não agrada ao governo brasileiro. A prisão da ex-presidente interina da Bolívia Jeanine Añez, a pedido do Ministério Público daquele país, foi outro episódio que não teria agradado ao Itamaraty. Añez é acusada de incitação à revolta durante a renúncia, em 2019, do ex-presidente da Bolívia Evo Morales, que permaneceu por quase 14 anos no poder.

Até o momento, ainda não houve um encontro entre os presidentes do Brasil e da Argentina. Jair Bolsonaro se reuniu, por videoconferência, com Alberto Fernández no dia 30 de novembro de 2020. A reunião foi vista como uma aproximação entre as duas maiores economias do Mercosul.

Criação do Mercosul – Tratado de Assunção

O Mercosul foi criado em 1991 com a participação do ex-presidentes do Brasil, Fernando Collor; da Argentina, Carlos Menem; do Paraguai, Andrés Rodríguez; e do Uruguai, Luis Alberto Lacalle Pou. O objetivo do bloco, formado por Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai, é aderir políticas de integração econômica.

 A Venezuela está suspensa desde 2017, e a Bolívia pretende aderir ao bloco, mas aguarda confirmação do Congresso brasileiro, único parlamento – dos integrantes do Mercosul – que não aprovou a adesão do país.

Mais Recentes da CNN