Bolsonaro e Mandetta ainda não se acertaram

Mandetta avaliou que viu método no rumor de sua saída, uma tentativa de desgaste por parte do Palácio do Planalto para forçar um pedido de demissão

O presidente da República, Jair Bolsonaro, e o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, em cerimônia no Planalto: os dois divergem sobre medidas contra a COVID-19
O presidente da República, Jair Bolsonaro, e o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, em cerimônia no Planalto: os dois divergem sobre medidas contra a COVID-19 Foto: Adriano Machado/Reuters (1º.ago.2019)

Caio Junqueirada CNN

Ouvir notícia

Em reunião com sua equipe na noite de segunda-feira (6), após ter anunciado sua permanência no ministério da Saúde, Luiz Henrique Mandetta relatou que em nenhum momento ele e o presidente Jair Bolsonaro trataram da sua permanência na pasta. Na sua avaliação, segundo uma fonte próxima a ele, ficou “o dito pelo não dito” e “um acerto não acertado”. “Não houve uma acordo”, disse.

A reunião com sua equipe ocorreu após a fala do ministro em que anunciou sua permanência no próprio Ministério da Saúde. Estavam todos os seus secretários especiais. Mandetta avaliou que viu método no rumor de sua saída, uma tentativa de desgaste por parte do Palácio do Planalto para forçar um pedido de demissão.

Aí se incluem os ataques a ele nas redes sociais bolsonaristas. Movimento que, na avaliação da Saúde, foi derrotado por outro que pedia a sua permanência, o #ficamandetta, que entrou nos trending topics do Twitter mundial.

Assista e leia também:
Entramos juntos e sairemos juntos, diz Mandetta sobre equipe da Saúde
Análise: Embate entre achismo e ciência marca desgaste de Bolsonaro com Mandetta

No geral, a avaliação dele e da equipe foi a de que ainda não há garantias de que ele fica no cargo até o final da crise. Alguns aliados mais próximos acham que ele sai no curto prazo, outros que ele fica de fato até o final. 

Sob reserva, interlocutores do presidente também disseram à CNN na manhã desta segunda-feira que foi muito ruim o fato de ele não tê-lo mencionado em momento algum na sua fala no Ministério da Saúde.

Mais Recentes da CNN