Concessionárias e escritórios poderão reabrir na cidade de São Paulo na sexta

A decisão, anunciada pelo prefeito de São Paulo, Bruno Covas, passará a valer a partir desta sexta-feira (5)

Paula Mariane,

da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

A partir de sexta-feira (5), concessionárias de automóveis e escritórios poderão retomar as atividades na cidade de São Paulo. Com a medida, os estabelecimentos devem adotar um novo horário de expediente, que permite o atendimento ao público por no máximo quatro horas. 

A reabertura dos setores foi anunciada pelo prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), em entrevista à imprensa nesta quinta-feira (4). A capital paulista encontra-se na fase 2 da flexibilização prevista pelo Plano São Paulo, que trata da retomada gradual das atividades no estado. 

Assista e leia também:

‘Atingimos o platô’, diz Bruno Covas sobre coronavírus na cidade de São PauloVeja como vai funcionar flexibilização da quarentena no estado de São Paulo
Queda nas vendas do varejo de SP foi superior a 67% em maio, diz ACSP
SP garante que não haverá corte de água e gás para a população mais pobre

“Vamos assinar, a partir do dia de hoje, com dois desses cinco setores, o setor de vendas de veículos e o setor de escritórios na cidade de São Paulo”, afirmou Covas na coletiva. A decisão ainda deverá ser oficializada no Diário Oficial do município. 

Na fase 2, é permitida a reabertura de atividades imobiliárias, concessionárias, escritórios, shopping centers e lojas. Para isso, é necessário que os setores responsáveis apresentem um protocolo que deve ser aprovado pela Vigilância Sanitária. 

Regras para a reabertura

Para a reabertura das concessionárias e dos escritórios, os estabelecimentos deverão respeitar o distanciamento social, com espaçamento de 1,5 metro entre pessoas, além de prover demarcações e barreiras físicas no local. A medição de temperatura deve ser garantida pela empresas. 

As medidas de limpeza também deverão ser intensificadas. No local, deverão ser disponibilizados meios para higienização, como álcool gel, água, sabão e toalhas descartáveis. 

Além da redução no horário de atendimento ao público, o estabelecimento deverá atender com limitação de 20% da capacidade total, com o objetivo de evitar aglomerações. A abertura e o fechamento dos locais deverão ocorrer fora dos horários em que há picos de trânsito.  

Até o momento, foram registrados 72.171 casos de Covid-19 na cidade de São Paulo, com 4.480 mortes. De acordo com o boletim epidemiológico, 57.785 pessoas já se recuperaram. 

Mais Recentes da CNN