Conselho de Ética da Câmara do Rio ouve testemunhas sobre caso Gabriel Monteiro

Nesta quarta-feira (25) ex-assessor de Gabriel respondeu perguntas dos parlamentares e dos advogados do vereador

O vereador e ex-policial militar Gabriel Monteiro fala à imprensa na Câmara Municipal do Rio
O vereador e ex-policial militar Gabriel Monteiro fala à imprensa na Câmara Municipal do Rio Foto: PAULO CARNEIRO/PHOTOPRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

Bruna Carvalhoda CNN

no Rio de Janeiro

Ouvir notícia

O Conselho de Ética da Câmara Municipal do Rio de Janeiro iniciou nesta quarta-feira (25) as oitivas do processo que pode resultar na cassação do mandato do vereador Gabriel Monteiro (PL).

As duas primeiras testemunhas de acusação ouvidas hoje são Vinícius Hayden Witeze e Heitor Monteiro de Nazaré Neto. Os dois são ex-assessores de Monteiro e acusam o vereador de assédio moral e sexual.

Vinícius Hayden começou a ser ouvido por volta das 10h30. Primeiro, ele respondeu questionamentos feitos pelos parlamentares e, em seguida, perguntas feitas pelos advogados de Gabriel Monteiro. Até às 13 h, o depoimento ainda não tinha se encerrado.

Monteiro esteve na sala da presidência para tentar acompanhar as oitivas, mas não foi autorizado a permanecer. Ao ser questionado pela CNN sobre o caso ele disse: “Gostaria que as oitivas começassem para que eu possa me pronunciar”. Os advogados do parlamentar foram autorizados a permanecer na sala para ouvir os depoimentos.

Os depoimentos acontecem a portas fechadas na sala da presidência da Câmara Municipal. Ao todo, 13 pessoas serão ouvidas, sendo 5 testemunhas de acusação e 8 pela defesa do vereador. As oitivas devem terminar no dia 9 de junho. Todo o processo de cassação do mandato pode durar até 90 dias.

Há quatro representações na Câmara contra Gabriel Monteiro que podem configurar quebra de decoro. O parlamentar teria exposto crianças e pessoas em situação de vulnerabilidade em vídeos editados e gravados sob direcionamento.

Outro ponto analisado pelo conselho é a investigação policial que envolve abuso sexual e moral contra ex-assessores. Além disso, foi incluído no processo o vídeo no qual o parlamentar supostamente acaricia uma menina de dez anos.

Mais Recentes da CNN