CPI aprova quebra de sigilos de Carlos Wizard e empresários de farmacêuticas

Ele é apontado como integrante de suposto 'gabinete paralelo' que teria assessorado o presidente Jair Bolsonaro durante a pandemia

Murillo Ferrari, da CNN, em São Paulo, e Gustavo Zucchi, da CNN, em Brasília

Ouvir notícia

 A CPI da Pandemia aprovou nesta quarta-feira (16) a quebra dos sigilos telefônico e bancário do empresário Carlos Wizard. Ele é apontado como integrante de um suposto “gabinete paralelo” que teria assessorado o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) durante a pandemia.

A medida foi votada de forma simbólica pelos membros da comissão, ao lado de uma série de outros pedidos de informação e de quebra de sigilos.

Wizard foi convocado para comparecer à CPI na quinta-feira (17), mas pediu para que o depoimento fosse coletado de forma virtual. O pedido foi negado pelo presidente da CPI, o senador Omar Aziz (PSD-AM), que pretende acionar a Justiça para garantir a realização da oitiva, com possibilidade de uma condução coercitiva.

O empresário entrou com pedido de habeas corpus no Supremo Tribunal Federal para poder realizar seu depoimento de maneira remota, ter o direito de ficar calado e não se autoincriminar e ter acesso antecipado aos documentos da CPI. Ele está nos Estados Unidos para acompanhar o tratamento médico de um familiar.

O relator do pedido de habeas corpus será o ministro Luís Roberto Barroso.

Além de Wizard, a CPI também quebrou o sigilo bancário e telefônico de Renata Farias Spallicci e Renato Spallicci, ambos da Apsen Farmacêutica, principal fabricante de hidroxicloroquina do Brasil.

Outro alvo dos senadores foram Francisco Emerson Maximiano, sócio da Precisa Medicamentos – que representa no Brasil o laboratório indiano Bharat Biotech, fabricante vacina Covaxin –, e José Alves Filho, do laboratório Vitamedic, produtor de Ivermectina. 

Veja a lista dos demais requerimentos aprovados pela CPI:

Requerimentos de informação

  • Requerimento 860 – Relação de procedimentos e processos instaurados em desfavor de Eduardo Pazuello
  • Requerimento 856 – Informações para o presidente da Azul Linhas Aéreas, John Rodgerson
    Requerimento 865 – Informações à Precisa Medicamentos

Requerimentos de quebra de sigilo

  • Requerimento 851 – Sigilo telefônico e bancário de Renata Farias Spallicci, sócia da Apsen Farmacêutica
  • Requerimento 852 – Sigilo telefônico e bancário de Renato Spallicci, presidente da Apsen Farmacêutica
  • Requerimento 854 – Sigilo telefônico e bancário de Francisco Emerson Maximiano, sócio da Precisa
  • Requerimento 855 – Sigilo telefônico e bancário de José Alves Filho, empresário do laboratório produtor de Ivermectina

Mais Recentes da CNN