Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    CPI do MST aprova a convocação do ministro Rui Costa

    Depoimento do ministro da Casa Civil ainda não tem data para acontecer; ele deve prestar esclarecimentos sobre a sua atuação tanto como ministro, quanto como governador da Bahia

    O ministro da Casa Civil, Rui Costa, foi convocado para prestar depoimento na CPI do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST)
    O ministro da Casa Civil, Rui Costa, foi convocado para prestar depoimento na CPI do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) 06/01/2023REUTERS/Adriano Machado

    Pedro Teixeirada CNN

    em Brasília

    O ministro da Casa Civil, Rui Costa, foi convocado para prestar depoimento na CPI do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST). O requerimento aprovado pela comissão justifica a convocação para que o chefe da Casa Civil preste esclarecimentos sobre a sua atuação com relação ao movimento, tanto como ministro, quanto como governador da Bahia.

    O requerimento aprovado foi apresentado pelo relator da CPI, deputado Ricardo Salles (PL-SP). O parlamentar defendeu a convocação do ministro para que ele também preste esclarecimentos sobre a atuação da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), sob o comando da Casa Civil, em relação ao MST.

    A mais recente ocupação do movimento ocorreu no início desta semana, quando o MST invadiu o terreno da Embrapa para impedir o Semiárido Show – feira do agronegócio marcado para começar nesta terça-feira (1º) em Petrolina (PE).

    De acordo com o MST, a atitude foi uma reação à gestão de Lula (PT). O movimento cobra o Ministério do Desenvolvimento Agrário por não cumprir a promessa de assentar 1.550 famílias, o que teria sido acordado em abril.

    Veja também: Zucco à CNN: Queremos prorrogar CPI do MST por mais 60 dias

    As recentes investidas do movimento têm gerado problemas ao presidente Lula, o governo tem sido cobrado por adversários a se manifestar sobre o assunto. Além disso, alguns integrantes do governo entendem que a falta de posicionamento dá munição para a CPI, dominada pela oposição, e dificulta a relação com os representantes do agronegócio.

    “Essa invasão demonstra, mais uma vez, que a versão de que eles só invadem área improdutiva é balela”, afirmou Salles.

    O Ministério do Desenvolvimento Agrário afirmou na segunda-feira (31), em nota, que o ministro Paulo Teixeira iria à feira da Embrapa para tratar “in loco das questões agrárias de Petrolina”. “Desde abril, o Governo Federal, por meio de um grupo de trabalho, tem atuado para atender às demandas dos movimentos”, diz a nota.