CPI da Pandemia quebra sigilo de assessores de Bolsonaro

Tercio Arnaud Tomaz, José Matheus Salles Gomes e Mateus Matos Diniz são assessores diretos do presidente Jair Bolsonaro

Caio Junqueirada CNN

Ouvir notícia

 

A CPI da Pandemia quebrou nesta quarta-feira (30) os sigilos telemático e telefônico de assessores diretos do presidente Jair Bolsonaro. São eles Tercio Arnaud Tomaz, José Matheus Salles Gomes e Mateus Matos Diniz.

A CPI pretende avançar para uma nova fase: mapear a produção e divulgação de fake news relacionadas à pandemia. Nesta quinta-feira (1) chega à CPI um delegado da Polícia Federal especializado em crimes cibernéticos para ajudar nessa nova frente.

Além dos três assessores de Bolsonaro, a CPI também aprovou a quebra de sigilo de Ligia Nara Arnaud Tomaz,  irmã de Tercio, do jornalista Allan Lopes dos Santos e do assessor do deputado federal Eduardo Bolsonaro, Carlos Eduardo Guimarães.

A CPI se baseou em pessoas citadas no inquérito das fake news que tramita no Supremo Tribunal Federal sob a condução do ministro Alexandre de Moraes.

Procurados, a Secretaria de Comunicação da Presidência da República e o deputado federal Eduardo Bolsonaro não se manifestaram.

O deputado estadual Fausto Junior (MDB-AM) presta depoimento na CPI da Pandemia
Sessão da CPI da Pandemia no Senado
Foto: Pedro França – 29.jun.2021/Agência Senado

Mais Recentes da CNN