Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    CPI quer acessar dados de outro empresário que foi ao BNDES com Flávio Bolsonaro

    Comissão quer avançar sobre dados de Danilo Fiorini, sócio da Precisa Medicamentos e de outras quatro empresas ligadas a Francisco Maximiano

    Rachel Vargas e Barbara Baião, da CNN em Brasília

     

    A CPI quer avançar sobre dados bancários, telemáticos e telefônicos das treze empresas ligadas a Francisco Maximiano, sócio da Precisa Medicamentos, e de dezenas de pessoas físicas relacionadas ao empresário, responsável por intermediar a compra da vacina Covaxin. A operação vista com desconfiança pelas autoridades entrou na mira da CPI da Pandemia após denúncias de suposto esquema de investigação.

    Nesta linha, um dos nomes que deve ter a transferência de dados analisada é o de Danilo Fiorini Junior, sócio de Maximiano em cinco negócios, entre eles a Xis Internet Fibra S.A. A comissão vai pedir a quebra de sigilo de Danilo nesta semana, assim como a de outros sócios nas relações comerciais de Maximiano. Além disso, a CPI aguarda dados cadastrais de Danilo já solicitados à Receita Federal.

    “Nós estamos detalhando para encontrar a rede de empresas que estão no entorno do senhor Francisco Maximiano. Nós acreditamos que essas empresas tem movimentações atípicas e que, juntando-se as informações da Precisa, podem ajudar a desvendar o quebra cabeça desse  esquema”, disse o vice-presidente da comissão, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), à CNN.

    Danilo é descrito como CEO da Xis internet Fibra. Ele e Maximiano estiveram em reunião virtual com o presidente do Banco Nacional do Desenvolvimento Economico e Social (BNDES), Gustavo Montezano, em treze de outubro de 2020. O encontro foi realizado a pedido do senador e filho do presidente da república, Flávio Bolsonaro (Patriota-RJ), que também esteve presente.

    Flávio admitiu ter estado na reunião e afirmou que a agenda era para “levar uma boa ideia” – no caso, um projeto de internet banda larga para as regiões Norte e Nordeste. A mesma versão é apresentada por Maximiano por meio de seus advogados. Segundo a defesa do empresário, ele e o senador não têm relação de proximidade e os contatos que tiveram até hoje foram estritamente “institucionais”. Segundo o BNDES, a Xis Internet Fibra não chegou a pegar empréstimos com o banco.

    Outras empresas de Maximiano já estiveram no centro de investigações sobre irregularidades em contratos com o governo federal. Agora, a apuração mira a denúncia de um suposto esquema de corrupção na compra das vacinas onde a Precisa medicamentos atuou. Para integrantes da comissão, o tema e seus desdobramentos é visto como o de maior potencial de desgaste ao Palácio do Planalto.

    A CNN procurou Danilo Fiorini mas ainda não obteve resposta.

    Sala onde ocorrem depoimentos da CPI da Pandemia no Senado
    Sala onde ocorrem depoimentos da CPI da Pandemia no Senado
    Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado (16.mai.2021)