Dirigente do União Brasil quer terceira via com Sergio Moro na sigla

Partido promete oferecer maior estrutura e fundo eleitoral para a candidatura do ex-juiz; articulação, porém, ainda não é unanimidade no Podemos e no DEM

Isabela Filardida CNN

Em São Paulo

Ouvir notícia

O deputado federal Júnior Bozella, presidente do União Brasil em São Paulo, está focado em trazer Sergio Moro (Podemos) ao partido. As informações são da âncora da CNN Daniela Lima.

Um dos argumentos de Bozella é de que o ex-juiz se uniria a um grupo mais estruturado, enquanto o Podemos poderia liberar seu fundo eleitoral para bancar candidaturas a governador, senador e deputado. O União Brasil terá a maior bancada dessas eleições.

“O que queremos é fazer valer a tal da terceira via, porque, com Moro no União Brasil, você consegue trazer o Podemos e criar uma estrutura que consiga atrair outros partidos para essa megacoligação”, afirmou Bozzella.

Segundo o deputado, Renata Abreu, presidente do Podemos, está ciente e Sergio Moro afirmou que não fará nenhum movimento sem consultá-la.

‘Chances pequenas’

A analista de política da CNN Renata Agostini conversou com Renata Abreu, que disse que as chances desse movimento são muito pequenas.

“Alguns parlamentares pediram para avaliarmos essa possibilidade, mas não temos nada concreto”, explicou.

A presidente, no entanto, entende que o Podemos não tem força para dar a Moro o passo que ele precisa para se viabilizar.

Ela sinaliza para o União Brasil que gostaria de manter o ex-juiz no partido, mas que, se para ter uma candidatura competitiva for preciso realizar esse movimento, ela topa, segundo integrantes dos dois lados.

Vice de Moro

Na conversa entre Abreu e os parlamentares, surgiu, inclusive, uma possibilidade de ela ser a vice de Moro nessa chapa entre União Brasil e Podemos.

Quem está se esforçando nessas mudanças é o grupo de Bozella, mas não há consenso no União Brasil, que nasceu da fusão do PSL com o Democratas, sobre esse movimento.

Renata Abreu conversou nesta terça-feira (18) com ACM Neto, presidente do Democratas. Os dois têm uma boa relação, mas Neto está no grupo do União Brasil que não concorda com esse movimento agora.

Uma grande parcela do partido quer uma bancada com 70 deputados e quer lançar de 8 a 12 governadores. Eles acreditam que o foco tem de ser esse, em vez de se comprometer a fazer palanque para Sergio Moro nos estados brasileiros.

Mais Recentes da CNN