Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Dominghetti tentou desvirtuar foco da CPI com áudio, avalia Eliziane Gama

    Para a senadora, o policial militar foi orientado pelo CEO da Davati, Cristiano Carvalho

    Jorge Fernando Rodrigues e Renato Barcellos, da CNN, em São Paulo

    A senadora e integrante da bancada feminina Eliziane Gama (Cidadania-MA) afirmou em entrevista à CNN que o policial militar de Minas Gerais e representante da Davati Medical Supply, Luiz Paulo Dominghetti, foi “instrumentalizado” para chegar à Comissão Parlamentar de Inquérito da Pandemia e desviar o foco dos trabalhos.

    Segundo a parlamentar, o PM tentou desvirtuar o foco dos senadores presentes ao exibir um áudio do deputado federal Luis Miranda (DEM-DF). Na ocasião, Dominghetti afirmou que Miranda tratava, no áudio, da compra de vacinas. O parlamentar, no entanto, nega e reafirma que negociava a venda de luvas.

    “Alguns colegas chegaram, inclusive, a ter o entendimento que ele [Dominghetti] teria sido plantado ali dentro da CPI. Eu não diria plantado, mas acho que ele foi instrumentalizado para chegar até a CPI com um áudio que foi exposto por ele e que ficou muito claro que foi uma montagem para tentar desfocar e desvirtuar o foco da CPI”, disse Gama.

    Para Eliziane, Dominghetti foi orientado pelo CEO da Davati, Cristiano Carvalho. Ainda na avaliação da senadora, a relação entre a empresa e o Ministério da Saúde é “tenebrosa”.

    Embora tenha reconhecido uma tentativa de obstrução na CPI, a parlamentar ressaltou que os senadores vão buscar todos os instrumentos legais para evitar as tentativas de burlar as provas.

    “A comissão, como o próprio nome já diz, é uma Comissão Parlamentar de Inquérito. Nós temos, na verdade, poder de polícia. Estamos dentro de um processo de investigação e todos os instrumentos do ponto de vista legal estão à disposição da CPi”, afirmou.

    Senadora Eliziane Gama (Cidadania-MA), integrante da bancada feminina no Senado
    Senadora Eliziane Gama (Cidadania-MA), integrante da bancada feminina no Senado (02.jul.2021)
    Foto: CNN Brasil

    Negacionismo e corrupção

    Eliziane Gama avaliou também que a CPI já conseguiu identificar, logo no início dos trabalhos da comissão, que o governo federal promoveu medidas negacionistas. Agora, a CPI se aproxima de indícios de corrupção.

    De acordo com ela, os senadores precisam “seguir o dinheiro” para identificar essas suspeitas de corrupção no governo federal e no Ministério da Saúde. A parlamentar ressaltou ainda que as descobertas aparecerão após a quebra de sigilo de alguns investigados.

    “A gente vai buscar essa linha, no meu entendimento, através de dois mecanismos: ouvindo o pessoal, mas também buscando documentos estabelecendo a quebra dos sigilos sobretudo fiscal e bancário”.

    A senadora comentou que a quebra dos sigilos telefônicos e telemáticos são importantes, mas com a quebra do sigilo fiscal e bancário será possível chegar à “linha do dinheiro”.