Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Em dia de posse no STF e depoimentos na PF, Barroso fala em virar página da história, mas sem “arrancá-la”

    Presidente do STF é ministro da ala progressista da Corte; Dino deve se somar a este grupo

    Basília RodriguesLucas Mendesda CNN

    Brasília

    O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Luís Roberto Barroso, afirmou nesta quinta-feira (22) que o país vive momento de recuperação e virada de página, ao ser questionado sobre o fato de a posse do ministro Flávio Dino ter coincidido com o depoimento de vários investigados pela suposta tentativa de um golpe de Estado.

    “O país vive um momento de recuperação da tranquilidade, da civilidade. A gente na vida precisa virar a página da história, mas não pode arrancar a página da história, a gente passa pelo que tem que passar. Temos que trabalhar pela pacificação, pela união de pessoas que pensam diferente, apenas agregá-las sob a Constituição e a um ideário comum que possa abrigar todos nós”, disse a jornalistas.

    Barroso fez elogios ao novo ministro da Suprema Corte e lembrou que Dino “viveu uma vida completa no serviço público, portanto, chegar ao Supremo é um coroamento da carreira”.

    Barroso é ministro da ala progressista da corte. Dino deve se somar a este grupo na definição de julgamentos daqui pra frente.

    “A democracia tem lugar para conservador, tem lugar para liberal, tem lugar para um debate público de qualidade, divergente de pessoas que colocam seus argumentos. É o tempo que estamos caminhando, para o qual as pessoas resolvem suas divergências pelo diálogo. O Flávio é um bom exemplo de pessoa capaz do diálogo, bem preparado e uma pessoa bem-humorada, o que faz todo diferença também”, afirmou.