Fora de cargos do PSL, ala bolsonarista na Câmara agora pressiona governo

Parlamentares querem recuperar poder de nomear apadrinhados em novas posições

Larissa Rodrigues, da CNN Brasil, em Brasília

Ouvir notícia

Após serem afastados dos cargos destinados ao PSL na Câmara, os deputados da “ala bolsonarista” agora travam uma nova briga interna. Muitos começaram a pressionar não só o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), como também o líder do governo na Câmara, Major Vitor Hugo, para que sejam recolocados em posição de liderança destinadas ao governo no Congresso Nacional — e assim, sigam com o poder de nomear apadrinhados. 

A reportagem apurou que Bolsonaro foi procurado nesta manhã por ao menos quatro dos doze deputados afastados a pedido do presidente da sigla, Luciano Bivaro (PSL-PE). Um deles chegou a pedir o lugar de Vitor Hugo. Outros disseram que aceitam cargo de vice-líder do governo na Câmara. Mas, a grande maioria reclamou mesmo foi dos cargos comissionados, que perderam ao deixar as posições que tinha na liderança do partido.

Além do líder, o PSL na Câmara pode ter até 15 vice-lideres. Cabe a eles nomear 116 cargos comissionados à liderança, com salários médios de R$ 12 mil. Agora afastados, os parlamentares perderam seus cargos e de seus apadrinhados.

Mais Recentes da CNN