Gisele Soares: médico é quem sabe como orientar o paciente

A comentarista avaliou a declaração de Luana Araújo de que a autonomia do médico é algo indispensável, mas que precisa ser responsável

Da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

No quadro Liberdade de Opinião desta sexta-feira (4), Gisele Soares avaliou a declaração da médica infectologista Luana Araújo de que a autonomia é algo indispensável no trato com pacientes, mas que precisa ser responsável. Luana, que ocupou a secretaria extraordinária de combate à Covid-19 por dez dias e foi ouvida na CPI da Pandemia, falou com exclusividade à CNN.

“É claro que os médicos seguem protocolos, e esses protocolos são orientações mais genéricas de como abordar. Mas como ela [Luana Araújo] coloca muito bem, é a garantia da autonomia do médico para que ele, analisando o histórico do paciente, ofereça um tratamento que, no seu entender e com seu conhecimento técnico, é o mais adequado para o tratamento da doença”, disse Soares.

“Essa é uma doença que não tem ainda um único remédio e tratamento. Há uma série de experiências e experimentos que foram feitos com conhecimentos prévios e há, sim, dados empíricos de boas respostas nos diversos tratamentos. A doutora Luana coloca muito bem que o médico precisa ter essa autonomia. A gente precisa tirar os políticos, os curiosos e as opiniões da sala e deixar o médico atuar. Ele que estudou seis anos de faculdade, anos de residência, e tem experiências em prontos-socorros. Ele sabe como tomar a melhor decisão, como orientar aquele paciente.”

O Liberdade de Opinião tem a participação de Sidney Rezende e Alexandre Garcia. O quadro vai ao ar diariamente na CNN. Nesta sexta-feira (4), excepcionalmente, teve a participação de Gisele Soares.

Gisele Soares
Gisele Soares
Foto: CNN Brasil (04.jun.2021)

As opiniões expressas nesta publicação não refletem, necessariamente, o posicionamento da CNN ou seus funcionários.

Mais Recentes da CNN