Maia pede maior harmonia com equipe econômica e cobra mudanças no Plano Mansueto

Segundo Maia, o plano para refinanciar dívidas de estados e municípios está "distorcido", pois trata de questões de médio a longo prazo

Da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), pediu nesta terça-feira (7) maior harmonia com a equipe econômica do governo de Jair Bolsonaro (sem partido) para atender a população em meio à crise da pandemia do coronavírus. A declaração foi feita durante entrevista coletiva em Brasília em que também foi abordada a situação do Plano Mansueto, que teve a votação adiada.

Segundo Maia, o Plano Mansueto — elaborado antes da pandemia, e que consiste em refinanciar dívidas de estados e municípios — está “distorcido”, pois trata de questões de médio a longo prazo. Para o presidente da Câmara, por conta da situação atual, é necessário pensar em soluções a curto prazo, junto com a equipe econômica. “O que queremos é que o recurso chegue”, afirma.

Leia também:

Congresso trabalha para substituir Plano Mansueto e dar fôlego fiscal a estados

Veja como usar o app da Caixa para receber o auxílio emergencial de R$ 600

O presidente da Câmara também disse que o ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni (DEM), “erra ao querer mais Brasília e menos Brasil”, ao viabilizar as principais medidas somente pela Caixa Econômica Federal. De acordo com Maia, é necessário realizar um trabalho conjunto entre os centros de referência de assistência social (CRAS) e o governo federal, além da Caixa, para responder rapidamente a crise.

Até o meio da tarde desta terça-feira, mais de 10 milhões de pessoas já tinham se cadastrarado para receber o auxílio emergencial de R$ 600, disse o presidente da Caixa, Pedro Guimarães.

 

 

 

Mais Recentes da CNN