Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Na CPI, reverendo Amilton de Paula chora: ‘cometi um erro, peço perdão’

    Segundo o depoente, o erro que ele cometeu não agradou primeiramente aos olhos de Deus

    Bia Gurgel, da CNN, em Brasília e Renato Barcellos, da CNN, em São Paulo

    O reverendo Amilton Gomes de Paula chorou durante o depoimento prestado à CPI da Pandemia nesta terça-feira (3). Na sessão que marcou o retorno dos trabalhos após o recesso parlamentar, o representante da Senah (Secretaria Nacional de Assuntos Humanitários) disse que cometeu um erro ao negociar vacinas e pediu perdão ao país.

    “Hoje de madrugada antes de vir para cá eu dobrei meus joelhos, orei, e peço desculpa ao Brasil, porque o erro que eu cometi não agradou primeiramente os olhos de Deus”, disse.

    Pouco antes da confissão, o senador Marcos Rogério (DEM-RO) afirmou que o policial militar Luiz Paulo Dominghetti e o representante da Davati Medical Supply no Brasil, Cristiano Carvalho, “parecem trambiqueiros” e questionou se o reverendo se arrependia de algo.

    Foi neste momento que Amilton de Paula afirmou que “o maior erro foi abrir a porta da minha casa num momento que eu estava sofrendo a perda de um ente querido da família e eu queria vacina para o Brasil”. “Eu tenho culpa, sim”, confessou.

    “Vendi meu carro, tudo que eu tinha para dar para a igreja. E esse erro que eu cometi, se eu pudesse voltar atrás, eu voltaria. Peço perdão para os senadores e se eu puder fazer algo para melhorar a vida de alguém… estou aqui para contribuir com o Brasil sempre”, concluiu.

    Durante resposta aos questionamentos da CPI, reverendo Amilton Gomes de Paula ch
    Durante resposta aos questionamentos da CPI, reverendo Amilton Gomes de Paula chora e pede perdão
    Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado