Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    “Não foi possível dar certo”, diz Lula sobre demissão de ex-comandante do Exército

    Presidente diz acreditar que o substituto pensa como o governo federal sobre o papel das Forças Armadas

    Gabriel Fernedada CNN

    em São Paulo

    O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) declarou nesta segunda-feira (23) que as coisas não estavam dando certo com o ex-comandante do Exército general Júlio Cesar de Arruda, demitido neste sábado (21). A declaração foi feita por Lula ao lado do presidente da ArgentinaAlberto Fernández.

    “Eu escolhi um comandante do Exército, que não foi possível dar certo. Eu tirei e escolhi outro comandante. O Brasil vai voltar a normalidade e as Forças Armadas vão cumprir com seu papel”, disse.

    O presidente Lula demitiu neste sábado (21) o comandante do Exército, general Júlio Cesar de Arruda, que havia sido nomeado para o cargo pelo próprio Lula e escolhido pelo critério de antiguidade. O ministro da Defesa, José Múcio Monteiro, confirmou na noite do sábado o general Tomás Miguel Ribeiro Paiva como novo comandante.

    Durante a fala, Lula disse que conversou com Tomás, e que eles tem um pensamento parecido com o dele sobre o papel das Forças Armadas.

    “Tive uma boa conversa com o comandante e ele pensa exatamente com tudo que eu tenho falado sobre a questão das Forças Armadas. As Forças Armadas não servem a um político”

    Por fim, o Presidente da República reforçou qual o papel do Exército, e disse que Jair Bolsonaro “não respeitou a Constituição e não respeitou as Forças Armadas”.

    “Ela [Forças Armadas] existe para garantir a soberania do nosso país, sob tudo contra possíveis inimigos externos e para garantir tranquilidade ao povo brasileiro. Está claro o papel na Constituição, está definido, está tudo regulamentado. O que aconteceu é que o Bolsonaro não respeitou a Constituição e não respeitou as Forças Armadas. Eu tenho certeza que nós vamos colocar as coisas no lugar”.