Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    PF enviará até março comitiva aos EUA em apuração de joias apreendidas

    Diligências são consideradas a fase final da investigação sobre o caso do material apreendido pela Receita Federal com integrantes de uma comitiva do governo Bolsonaro em 2021

    Gustavo Uribe

    A Polícia Federal vai enviar até março uma comitiva de investigadores aos Estados Unidos para diligências relacionadas à investigação sobre o caso das joias apreendidas pela Receita Federal com integrantes de uma comitiva do governo Jair Bolsonaro em 2021.

    Na semana passada, a força policial complementou dados enviados aos Estados Unidos para viabilizar a viagem da equipe brasileira.

    As diligências nos Estados Unidos, em busca de dados fiscais e comprovantes de pagamento, são consideradas a fase final da investigação. A expectativa é de que o inquérito seja concluído neste ano.

    As diligências nos Estados Unidos são necessárias, segundo apurou a CNN, para confirmar trechos da delação premiada do ex-ajudante de ordens Mauro Cid.

    Duas remessas de informações já teriam sido enviadas por autoridades americanas. Elas incluem recibos de venda e compra de relógios, bem como informações sobre dados fiscais.

    A força policial também investiga uma eventual relação do recebimento de joias dos Emirados Árabes com a venda de uma refinaria na Bahia, em 2021.

    Antes da conclusão do inquérito, a PF pretende convocar o ex-presidente Jair Bolsonaro para um novo depoimento.

    Bolsonaro nega qualquer irregularidade. Sobre as joias, a defesa do ex-presidente alega que as dúvidas são fruto de dúvidas sobre a classificação dos presentes recebidos pela Presidência.

    Em relação à refinaria na Bahia, a CNN procurou o ex-presidente Jair Bolsonaro e a atual gestão da Petrobras para comentar a auditoria da Controladoria-Geral da União que apresentou os dados, divulgados na semana passada, mas ainda não obteve retorno.