Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Pimenta pode coordenar de Brasília secretaria extraordinária para reconstrução do RS

    Portaria publicada no Diário Oficial prevê que ministro extraordinário fique lotado na capital federal

    O ministro Paulo Pimenta
    O ministro Paulo Pimenta 03/05/2024 - Foto: TON MOLINA/FOTOARENA/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO

    Patrícia Nadirda CNN

    Brasília

    O ministro extraordinário para Apoio à Reconstrução do Rio Grande do Sul, Paulo Pimenta, poderá comandar de Brasília as ações federais para as cidades atingidas pelas enchentes.

    Uma portaria publicada no Diário Oficial na sexta-feira (24) mostra que a lotação do ministro será em Brasília, assim como a do coordenador-geral e do coordenador da nova pasta. Os demais funcionários deverão trabalhar em Porto Alegre.

    O documento traz a estrutura do ministério extraordinário. Determina que a pasta será a área de competência ao enfrentamento da calamidade pública e o apoio à reconstrução do Estado do Rio Grande do Sul por meio:

    • da coordenação das ações a serem executadas pela administração pública federal direta e indireta, em conjunto com a Casa Civil da Presidência da República;
    • do planejamento das ações a serem executadas pela administração pública federal direta e indireta, em conjunto com os Ministérios competentes;
    • da articulação com os ministérios e com os demais órgãos e entidades da administração pública federal;
    • da articulação entre os Governos federal, estadual e municipais do Rio Grande do Sul;
    • da interlocução com a sociedade civil, inclusive para o estabelecimento de parcerias;
    • da promoção de estudos técnicos junto a universidades e a outros órgãos ou entidades especializados, públicos e privados.

    Ministro extraordinário

    Pimenta foi nomeado por Lula ao cargo especial no começo do mês. Para assumir como ministro extraordinário, deixou temporariamente o posto de ministro da Secretaria de Comunicação Social.

    A ideia é que o ministro fique no cargo, pelo menos, até o fim deste ano. No PT, o nome de Pimenta é defendido como uma opção a governador gaúcho em 2026.