PSDB quer punir deputados pró-voto impresso com menos recurso de campanha

Cúpula tucana defende penalizar ‘no bolso’ os deputados infiéis na votação na Câmara

Plenário da Câmara dos Deputados durante votação da PEC do voto impresso
Plenário da Câmara dos Deputados durante votação da PEC do voto impresso Foto: Cleia Viana/Câmara dos Deputados

Basília Rodriguesda CNN

Ouvir notícia

Integrantes da cúpula do PSDB decidiram punir deputados que votaram a favor do voto impresso com menos recursos de financiamento de campanha. A CNN conversou com tucanos que defendem penalizar “no bolso” os deputados infiéis na votação.

A diferença entre quem votou contra ou a favor se dará no financiamento de campanha em que os deputados que seguiram o partido devem receber mais recursos.

Apesar do presidente do PSDB, Bruno Araújo, anunciar que o partido havia fechado questão contra a PEC do Voto Impresso, a bancada tucana rachou. Foram 18 votos, que atenderam a orientação do partido, contra 14 que, em sentido oposto, foram a favor da PEC.

A CNN apurou que a intenção do PSDB de punir não deve valer para o deputado Aécio Neves, presidenciável nas eleições de 2014, quando a legenda questionou a auditagem do voto. Aécio optou pela abstenção na votação de ontem. Não votou a favor do texto, mas também não se esforçou para enterrá-la. A abstenção, contudo, será interpretada pelo PSDB como um “não” à proposta, devido ao quórum qualificado. Ou seja, a decisão dependia de 3/5 dos votos, o que não foi atingido.

Mais Recentes da CNN