Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    PSL confirma candidatura de Joice Hasselmann à prefeitura de São Paulo

    Ex-líder do governo, deputada diz que não irá trazer questões da política nacional para a campanha municipal

    A deputada Joice Hasselmann (PSL-SP)
    A deputada Joice Hasselmann (PSL-SP) Foto: Maryanna Oliveira/Câmara dos Deputados

    Anne Barbosa, da CNN, em São Paulo

    Ouvir notícia

    Em convenção realizada no diretório estadual do PSL em São Paulo nesta segunda-feira (31), o partido confirmou a candidatura da deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP) à prefeitura da capital. A vaga de vice da chapa continua em aberto. 

    O ex-secretário especial da Receita Federal Marcos Cintra (PSL) chegou a ser cotado para o cargo, mas por enquanto, ele será o responsável pelo plano de governo do partido. A sigla optou por confirmar a candidata na data de início do período em que os partidos precisam realizar suas convenções para confirmar seus candidatos. 

    Leia mais:
    PSL acelera escolha de Joice Hasselmann em SP para reduzir efeito Bolsonaro

    O deputado federal Junior Bozzella (SP), presidente estadual do partido e responsável por coordenar a campanha de Joice, disse que a escolha da data foi estratégica. 

    “Isso foi uma estratégia que nós adotamos para que, acima desse planejamento, não perdêssemos tempo em meio à pandemia”, disse. Segundo ele, Joice é a melhor escolha por toda sua representatividade. Joice foi a deputada federal mais votada no país nas eleições de 2018, com 1.078.666 votos.

    A candidata citou seus adversários e disse que São Paulo e o povo paulistano precisam de alguém que brigue de fato. Joice também destacou a importância do diálogo e de seu papel quando foi líder do governo.

    “O amor acabou e cada um seguiu seu caminho. Como candidata, não vou trazer a disputa nacional para a questão municipal, mas estamos falando da maior cidade do país, mais rica e mais desigual”, disse. 

    Afastamento de Bolsonaro

    Apesar de serem antigos aliados, Joice e Jair Bolsonaro (sem partido) estão afastados. Bolsonaro deixou o partido em novembro do ano passado para fundar o Aliança pelo Brasil. “Em nenhum momento o partido fez convite para ele voltar. O que existe são deputados que foram suspensos pelo PSL, que sim, procuraram o partido. Qual a intenção dele (Bolsonaro) construir ou destruir? Acho que ele tem que ficar onde está e deixar o PSL trabalhar”, disse. 

    O senador Major Olímpio participou do anúncio e destacou a trajetória da candidata. “Ela não saiu atacando as pessoas ligadas ao presidente. Pelo contrário, ela foi atacada de forma criminosa. Faço questão de dizer da alegria pelo aceite e pela definição de colocar uma candidatura competitiva”, afirmou.

    Mais Recentes da CNN