Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Receita Federal poderá enviar supostas provas de lavagem de dinheiro ao MPF e PF

    Regra antiga não permitia que auditores, caso encontrassem evidências de crimes fiscais, enviassem as provas aos procuradores e policiais

    Antiga norma da Receita tornava mais difícil para o Ministério Público e a PF iniciarem as investigações
    Antiga norma da Receita tornava mais difícil para o Ministério Público e a PF iniciarem as investigações 20/02/2020 - Marcelo Camargo/Agência Brasil

    João Rosada CNN

    Brasília

    A pedido do Ministério Público Federal (MPF), a Receita Federal editou uma portaria para determinar que os auditores que se depararem com indícios de crimes de lavagem de dinheiro enviem as provas diretamente para órgãos de investigação, como o próprio MPF e a Polícia Federal (PF).

    A nova medida foi publicada no Diário Oficial na quarta-feira (17) e entrará em vigor a partir do dia 1º de fevereiro. As mudanças atendem a sugestões feitas pelo MPF em 2022. Segundo o órgão, a nova determinação deve ampliar e facilitar o trabalho dos dois órgãos no enfrentamento ao crime de lavagem de dinheiro.

    A norma anterior estabelecia que, nos casos de indícios de lavagem, a Receita não podia encaminhar as evidências indicativas do crime. Os auditores ficavam limitados a apresentar uma representação, sem fornecer detalhes ou informações sobre esses indícios. Segundo o MPF, a antiga norma tornava mais difícil para o Ministério Público e a PF iniciarem as investigações.

    Para o coordenador do Grupo de Apoio sobre Lavagem de Dinheiro, Crimes Fiscais e Investigação Financeira, procurador Henrique Lopes, o antigo regulamento dificultava as investigações.

    Imagina que, numa fiscalização aduaneira, a Receita encontrasse drogas dentro de um contêiner. Ela obviamente vai acionar a polícia e o Ministério Público e vai entregar a droga apreendida. Agora, se ela encontrasse um caso de lavagem e não de tráfico de drogas, ela não poderia mandar o que equivaleria às ‘drogas’ da lavagem 

    Henrique Lopes

    Em 2020, o MPF e a Receita Federal assinaram um acordo de cooperação interinstitucional com o objetivo de estreitar a atuação entre os dois órgãos em matérias de interesse mútuo, principalmente, no enfrentamento dos ilícitos penais fiscais.