Renan Calheiros quer convocar ex-cunhada de Bolsonaro para depor à CPI

Senador quer que Andrea Siqueira Valle esclareça se houve espelhamento do esquema das rachadinhas no governo federal

Renato Barcellos, da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

 

O relator da Comissão Parlamentar de Inquérito da Pandemia, senador Renan Calheiros (MDB-AL), afirmou que é “fundamental” a CPI convocar a ex-cunhada do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), Andrea Siqueira Valle, para prestar depoimento à comissão.

Uma série de reportagens do portal UOL, publicada nesta segunda-feira (5), traz diversos áudios — incluindo gravações de Andrea Valle — indicando que Bolsonaro participava diretamente de um suposto esquema de rachadinha enquanto exercia o cargo de deputado federal.

Segundo a publicação, a prática acontecia também nos gabinetes dos filhos do presidente.

Na avaliação de Calheiros, a ex-cunhada do presidente pode explicar se houve espelhamento do esquema das rachadinhas no governo federal.

“Como se sabe, Carlos Bolsonaro é peça fundamental no ministério paralelo e Flávio Bolsonaro um influente filtro de indicações”, disse o senador em uma rede social.

Em uma das reportagens, Andrea Siqueira Valle afirma que um coronel da reserva do Exército, ex-colega do presidente na Aman (Academia Militar das Agulhas Negras), atuou no recolhimento de salários da ex-cunhada de Jair Bolsonaro, no período em que ela constava como assessora do antigo gabinete de Flávio na Alerj (Assembleia Legislativa do Rio).

“Ela cita um coronel reformado. São muitos os indícios e testemunhos da participação de militares em irregularidades com as vacinas Covaxin e Astrazeneca”, disse Calheiros.

O senador, no entanto, ressaltou que a oitiva com Valle não será para incriminar, mas para “esclarecer fatos relacionados a presença dessas pessoas no governo”.

Palácio do Planalto diz que não vai se manifestar

O Palácio do Planalto informou que não obteve acesso na íntegra dos áudios publicados pelo UOL, mas apenas a trechos fora de contexto, sem mais informações sobre data e hora. Por isso, não vai se manifestar.

“A construção da narrativa, tal qual feita pelo UOL, por meio da divulgação de trechos sem contextualização cronológica parecem ter como intuito induzir o leitor/expectador a conclusões precipitadas por carecer de contexto”, diz um trecho da nota enviada à CNN.

Advogado de Bolsonaro nega ilegalidades

O advogado do presidente, Frederick Wassef negou ilegalidades e disse que existe uma antecipação da campanha de 2022.

Ele afirmou que os fatos narrados por Andrea “são narrativas de fatos inverídicos, inexistentes, jamais existiu qualquer esquema de rachadinha no gabinete do deputado Jair Bolsonaro ou de qualquer de seus filhos”.

Senador Renan Calheiros (MDB) durante sessão na CPI da Pandemia
Senador Renan Calheiros (MDB) durante sessão na CPI da Pandemia
Foto: Leopoldo Silva/Agência Senado

Mais Recentes da CNN