Senadores da CPI da Pandemia divergem sobre comboio de militares com Bolsonaro

No CNN Dois Lados, Humberto Costa (PT-PE) e Fernando Bezerra (MDB-PE) falaram sobre ato militar que ocorreu na Esplanada do Ministérios

Produzido por Basilia Rodrigues, da CNN, em Brasília

Ouvir notícia

Os senadores Humberto Costa (PT-PE) e Fernando Bezerra (MDB-PE), membros da CPI da Pandemia, divergiram sobre a participação do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) na exibição de um comboio de veículos militares no entorno do Congresso Nacional na manhã desta terça-feira (10). 

No quadro CNN Dois Lados, Bezerra defendeu o compromisso de Bolsonaro com a ordem democrática e, por isso, acredita que o ato com militares não representa ameaça à ordem política atual.

“Eu prefiro acreditar que não se trata de nenhum tipo de ato de provocação, mas sim coincidência de que os exercícios estejam sendo feitos na semana em que o Congresso Nacional debate matérias importantes”, disse o senador do MDB. “Acredito na força da democracia brasileira e no compromisso de Bolsonaro em preservar o estado de direito democrático”, completou.

Para Costa, não houve coincidência para a data do desfile do comboio. Nesta terça-feira, a Câmara dos Deputados vota a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) sobre o voto impresso nas eleições — uma das bandeiras defendidas pelo presidente da República.

“O presidente Bolsonaro nunca teve grande apreço pela democracia. Ele está em busca de pretexto para golpear o estado democrático de direito, seja agora ou depois das eleições”, afirmou Humberto Costa. “A utilização dessa operação exatamente acontece ha decadas, mas é a primeira vez que ela passa na frente do Congresso Nacional”, completou.

Senadores Humberto Costa (PT-PE) e Fernando Bezerra (MDB-PE)
Senadores Humberto Costa (PT-PE) e Fernando Bezerra (MDB-PE), membros da CPI da Pandemia, participaram do CNN Dois Lados
Foto: CNN Brasil (10.ago.2021)

Desfile na Esplanada dos Ministérios

O desfile do comboio militar nas proximidades do Congresso Nacional, em Brasília, já estava progamado para acontecer nesta terça-feira, informou a Marinha. A Operação Formosa acontece há mais de 30 anos e é o maior treinamento militar da instituição no Planalto Central. Pela primeira vez, o ato teve a participação do Exército Brasileiro e da Força Aérea Brasileira.

Ao presidente Jair Bolsonaro e ao ministro da Defesa, Walter Braga Netto, foram entregues convites para que eles compareçam à demonstração operativa, marcada para o dia 16 de agosto, no Campo de Instrução de Formosa.

Mais Recentes da CNN