STF manda retomar investigação sobre suposta interferência de Bolsonaro na PF

Decisão do ministro Alexandre de Moraes é que os investigadores não precisam aguardar Supremo dar palavra final sobre depoimento do presidente antes de seguir

Da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou a retomada da investigação que apura possível interferência do presidente Jair Bolsonaro na Polícia Federal. As informações são da âncora da CNN Daniela Lima.

“Considerada a prorrogação de prazo para o término do presente inquérito, por mais 90 (noventa) dias, contados a partir do dia 27/7/2021 e a necessidade de realização de diligências pendentes para o prosseguimento das investigações, não se justifica a manutenção da suspensão da tramitação determinada pelo então relator em exercício, Min. MARCO AURÉLIO, em 17/9/2020”, escreve.

O inquérito foi aberto no ano passado, após Sergio Moro afirmar, na saída do cargo de ministro da Justiça e Segurança Pública, que o presidente Jair Bolsonaro agiu para interferir na Polícia Federal, com pressão para alterações na composição da corporação. 

As investigações estavam suspensas até que o Supremo julgasse outro processo, que decide se o presidente da República pode ser obrigado a prestar depoimento e em que formato, presencial ou por escrito. A decisão da suspensão foi tomada em setembro do ano passado, pelo então ministro do STF Marco Aurélio Mello, aposentado no início do mês.

Jair Bolsonaro
Bolsonaro na solenidade alusiva à Sanção da Lei de Capitalização da Eletrobras
Foto: Foto: Alan Santos/PR

Segundo o despacho de Moraes, a possibilidade ou não do presidente ser ouvido “está previsto para data breve”, em 29 de setembro. O inquérito foi prorrogado por mais 90 dias a partir do dia 27 deste mês.

Mais Recentes da CNN