TSE divulga nova divisão do Fundo Eleitoral; PT e PSL seguem com maiores fatias

Tribunal recalculou valores com base nas eleições gerais de 2018

Prédio do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) em Brasília
Prédio do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) em Brasília Foto: Roberto Jayme/TSE

Anna Satie, da CNN

Ouvir notícia

O TSE (Tribunal Superior Eleitoral) divulgou nesta quarta-feira (17) a nova divisão dos R$ 2 bilhões do Fundo Especial de Financiamento de Campanha, o chamado fundo eleitoral. 

Leia também:

Em encontro com médicos e TSE, partidos concordam em adiar eleição de 2020

Congresso ouvirá especialistas consultados pelo TSE sobre adiamento de eleições

Os ministros decidiram recalcular a distribuição para levar em conta a última eleição geral, de 2018, e os senadores filiados ao partido que estavam em seus primeiros quatro anos de mandato naquele ano. Antes, o montante havia sido decidido com base na representatividade de cada partido no primeiro dia útil de junho.

O recálculo foi determinado após decisão unânime do Tribunal na terça-feira (16). 

Mesmo com os novos critérios, o PT e o PSL seguem com as maiores fatias — R$ 201 milhões e R$ 199 milhões, respectivamente. Houve alteração no restante da lista: antes, o PSD era a legenda com a terceira maior porção. Após a revisão, essa posição é do MDB e o partido presidido por Gilberto Kassab ficou em quinto na lista – veja abaixo.

Dois partidos anunciaram à Justiça Eleitoral que irão renunciar aos valores para estas eleições municipais, o Novo e o PRTB.

Criado pelo Congresso em 2017 como alternativa à proibição do financiamento eleitoral por empresas, o fundo será utilizado para custear as campanhas políticas pela segunda vez.

 

Tabela do TSE com a divisão do Fundo Partidário

Mais Recentes da CNN