Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Waack: Lula passou a entender a questão dos juros como uma questão de poder

    Por detrás de qualquer desastre econômico esteve sempre o apego a uma ideia equivocada

    William Waackda CNN

    Até certo ponto, o que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) fala mal dos juros e do Banco Central faz parte de um script bem conhecido. Não só aqui no Brasil.

    É comum os governantes acharem que a taxa de juros poderia ser outra. Portanto, que os presidentes de bancos centrais poderiam ajudar o governo…bem, a governar. Fora o fato de que juro alto não dá popularidade para ninguém.

    Também as respostas dos presidentes dos bancos centrais, incluindo a do brasileiro, seguem o mesmo script. Eles recomendam aos governos fazerem a lição de casa. Tomarem conta direitinho das contas públicas, cuidarem da inflação, e aí os juros podem cair.

    Mas o script que Lula segue é só até certo ponto o script bem conhecido. Por detrás da presente discussão está uma outra ideia.

    No caso, ideia abraçada por setores do PT e endossada por Lula é a de que os males do Brasil vêm há muito tempo do rentismo, daqueles parasitas que vivem de juros altos.

    E que tudo, inclusive a preocupação com questões fiscais, é só jogo de cena para encurralar um governo e manter intacto o ganho de quem vive de renda, isto é, de juros pagos pelo poder público.

    A serviço de elites – sempre elas – que não gostam do resultado das urnas e não se preocupam com pobres.

    Lula passou a entender a questão dos juros como uma questão de poder. É sempre mais perigoso quando se trata de ideias.

    Por detrás de qualquer desastre econômico esteve sempre o apego a uma ideia equivocada.