Pfizer pede autorização emergencial de vacina nos EUA

Empresa diz que vacinação é possível para pessoas do grupo de risco a partir da metade de dezembro

Jamie Gumbrecht, da CNN
20 de novembro de 2020 às 17:26 | Atualizado 20 de novembro de 2020 às 22:27

 A Pfizer e a BioNTech apresentaram a Administração de Drogas e Remédios dos Estados Unidos (FDA) um pedido para que a agência autorize o uso emergencial da vacina que desenvolveram contra o novo coronavírus.

"Esse é um dia histórico. Um dia histórico para a ciência e para todos nós", diz o CEO da Pfizer, Albert Bourla. 

Assista e leia também:

Pfizer: Resultado final da última fase de teste da vacina aponta eficácia de 95%

Essa é a primeira candidata a vacina contra a Covid-19 a pedir a autorização emergencial nos Estados Unidos.

Pfizer e a BioNTech afirmaram em comunidado que a candidata das empresas a vacina, conhecida como BNT 162b2, pode estar disponível para uso em populações de alto risco nos EUA entre o meio e o final de dezembro.

O pedido se baseia nos resultados da fase 3 dos testes clínicos da vacina da Pfizer, que começaram em 27 de julho e abarcaram mais de 43 mil voluntários. A análise final dos testes descobriram que a vacina é 95% efetiva em prevenir infecções, mesmo em adultos mais velhos, e não provocou nenhuma preocupação séria de segurança.

Os dados também incluem dados de segurança em cerca de 100 crianças, de idades entre 12 e 15 anos.

Cerca de 42% dos voluntários globais e 30% dos participantes da fase 3 nos Estados Unidos possuem backgrounds raciais e étnicos diversos, afirmaram as companhias em um comunicado de imprensa. Ao todo, 41% dos participantes no mundo e 45% dos voluntários nos EUA possuem idades entre 56 e 85 anos.

(Texto traduzido. Clique aqui e leia o original em inglês)