Quatro estados recebem doses da vacina de Oxford já neste sábado

Rio de Janeiro, Ceará, Amazonas e Paraná já recebem as doses da vacina de Oxford/Astrazeneca

Da CNN, no Rio de Janeiro
23 de janeiro de 2021 às 16:36

Pelo menos quatro estados receberão ainda neste sábado (23) as doses da vacina de Oxford/AstraZeneca que chegaram da Índia na sexta-feira (22) à noite. São eles Rio de Janeiro, Ceará, Amazonas e Paraná.

O restante das doses será enviado para os demais estados e o Distrito Federal na manhã de domingo (24) em voos comerciais. As aeronaves decolam da base aérea do Galeão, no Rio de Janeiro. 

A entrega dos 2 milhões de doses ao Programa Nacional de Imunizações foi antecipada em 2 horas. O último caminhão carregado com a vacina de Oxford saiu da sede da Fiocruz, em Manguinhos, às q16h. 

Na tarde deste sábado (23), o infectologista do Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas da Fiocruz (INI/Fiocruz), Estevão Portela, foi o primeiro a receber a vacina. Além dele, a médica pneumologista do Centro de Referência Professor Helio Fraga, também da Fiocruz, Margareth Dalcolmo também foi imunizada. Ambos têm atuado na linha de frente da assistência a pacientes de Covid-19 desde o início da pandemia.

 

As vacinas chegaram no final da noite de ontem na base área do Galeão, e seguiram para Bio-Manguinhos/Fiocruz.

Em obediência às normas regulatórias da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), as doses passaram por controle de qualidade e segurança e por um processo de rotulagem, com etiquetagem das caixas com informações em português. 

O trabalho de rotulagem dos 2 milhões de doses da vacina de Oxford teve início ainda na madrugada e terminou antes do previsto. Foram rotuladas 4 mil caixas com 50 frascos cada. Cada frasco tem 10 doses. Na sequência, a vacina passou por controle de qualidade e conferência de documentação. 

A CNN apurou que as doses destinadas ao Rio de Janeiro na distribuição da vacina de Oxford, importadas do Instituto Serum, da Índia, devem ficar no estado. O estado recebeu cerca de 9% dos dois milhões de doses, o equivalente a 185 mil doses. 

Esse material, assim como aconteceu com a Coronavac, foi levado para a Central Geral de Abastecimento da Secretaria de Estado de Saúde, em Niterói, na Região Metropolitana, de onde sairá para abastecer todos os municípios. A secretaria pretende fazer com que ela seja distribuída para 180 mil pessoas diferentes. Ou seja, não haverá reserva para aplicação da segunda dose nas primeiras pessoas vacinadas.

Essa decisão tem a ver com o maior intervalo permitido para aplicação entre uma dose e outra, em relação ao da Coronavac, da farmacêutica chinesa Sinovac. Para essa, a expectativa é aplicar a segunda dose, já na posse do estado, em fevereiro.