RJ: esperávamos mais, diz secretário sobre número de vacinados com comorbidades

Este sábado (29), foi o último dia destinado ao grupo prioritário; pessoas com diabetes foram as que mais se imunizaram

Thayana Araujo e Iuri Corsini, da CNN, no Rio de Janeiro
30 de maio de 2021 às 00:41
Vacinação contra Covid-19 na quadra do Cacique de Ramos, no Rio de Janeiro
Vacinação contra Covid-19 na quadra do Cacique de Ramos, no Rio de Janeiro
Foto: Alexandre Silva/Fotoarena/Estadão Conteúdo (9.abr.2021)

Quase 500 mil pessoas com comorbidades foram vacinadas contra o novo coronavírus na cidade do Rio de Janeiro desde o início do calendário destinado ao grupo prioritário que começou no dia 26 de abril e terminou neste sábado (29). De acordo com secretário municipal de Saúde do Rio de Janeiro, Daniel Soranz, pessoas com diabetes foram as que mais se imunizaram.

O cronograma da secretaria municipal de Saúde tinha como meta manter o padrão do escalonamento decrescente de idades, com a previsão de vacinar pessoas de 45 até 59 anos dos grupos prioritários até este sábado.

Daniel Soranz informou à CNN que o número de pessoas vacinadas ficou 20% abaixo da estimativa da pasta. “Esperávamos mais" disse ele para depois justificar: "O número de pessoas estimada como população alvo a vacinar é uma projeção do censo demográfico de 2010 e ele pode não ser tão preciso” disse se referindo a números do censo que podem não estar totalmente atualizados. 

O secretário municipal de Saúde do Rio participou de uma reunião do secretariado municipal também neste sábado e enalteceu o fato de a cidade do Rio ser uma das primeiras capitais do país a começar a vacinação da população em geral. Como a CNN divulgou, a expectativa da Prefeitura do RJ é ter toda sua população com mais de 18 anos imunizada com a primeira dose em cinco meses.

Os grupos prioritários incluem pessoas com algum tipo de comorbidade que conste na lista do Plano Nacional de Imunização (PNI). São elas: pessoas com deficiência permanente; trabalhadores da saúde; trabalhadores envolvidos diretamente nas ações de combate à Covid; guardas municipais e pessoas com 60 anos ou mais. 

Com o fim dessa etapa destinada ao grupo prioritário, Soranz recomendou a quem perdeu a data, buscar atendimento em um dos postos aos sábados, quando acontece a repescagem. Caso não seja possível comparecer nessas datas, somente poderão tomar a primeira dose em dias específicos, ainda a serem divulgados pela prefeitura.