Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Banhos em excesso podem trazer mais riscos do que os esporádicos, diz médico

    No Correspondente Médico, Fernando Gomes falou sobre hábito da higiene corporal diária; Ashton Kutcher e Mila Kunis revelaram que não tomam banho todo dia

    Nicole Lacerda, da CNN, em São Paulo

    Na edição desta quinta-feira (29) do quadro Correspondente Médico, do Novo Dia, o neurocirurgião Fernando Gomes falou sobre a importância de tomar banho regularmente. O casal de atores Ashton Kutcher e Mila Kunis revelou que não toma banho com frequência e ensina o hábito aos filhos.

    A declaração foi feita em entrevista a um podcast e os dois disseram que apenas lavam as partes essenciais todo dia, como as axilas e o rosto, mas banhar o corpo inteiro não acontece diariamente. Segundo o casal, os filhos só vão para baixo do chuveiro quando alguma sujeira é visível neles.

    Mila Kunis, que nasceu na Ucrânia, disse que quando era criança não tinha acesso à água quente, por isso o hábito de não tomar banho com frequência.

    “Existem diversas convenções que nem paramos para pensar, por exemplo, quem disse que precisamos ter café da manhã, almoço e janta? Poderíamos muito bem comer uma vez por dia e nosso corpo se adaptaria a essa situação — a mesma coisa referente ao banho”, afirmou Fernando Gomes.

    Segundo o médico, o hábito de higiene corporal diária ajuda na convivência social, pois evita odores e deixa a pessoa mais asseada.

    “Mas existe o outro extremo: a pessoa que se banha demais acaba tirando o que chamamos de flora transitória, que são bactérias que ficam em volta do corpo, e, assim, podem colocar em risco a saúde da pele”, explicou o especialista.

    “Se o indivíduo mora em um lugar que geograficamente é quente, faz atividade física e transpira, é bacana que ele tome banho todo dia, pois vai se sentir melhor”, completou Gomes.

    quadro Correspondente Médico
    No quadro Correspondente Médico, dr. Fernando Gomes falou sobre a importância de banhos frequentes, mas também os riscos de exagerar
    Foto: CNN Brasil (29.jul.2021)